Noam Chomsky deixa hospital em São Paulo e continuará 'tratamento' em casa

O linguista americano Noam Chomsky, um dos intelectuais mais influentes do mundo, recebeu alta nesta terça-feira (18) de um hospital de São Paulo e seguirá um "tratamento" em sua casa, informou o centro médico, após rumores falsos sobre sua morte circularem na internet.

A Beneficência Portuguesa de São Paulo informou que "o paciente Avram Noam Chomsky recebeu alta hospitalar para seguir o tratamento em casa", segundo um boletim médico enviado à AFP.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na nota assinada por um cardiologista, o centro hospitalar não detalhou que tipo de tratamento o intelectual e ativista, de 95 anos, deve seguir.

Mas, segundo a Folha de S.Paulo, Chomsky estava internado na capital paulista após sofrer um acidente vascular cerebral em junho do ano passado, que lhe deixou dificuldades na fala e afetou o lado direito do corpo.

Sua esposa, Valeria Chomsky, que é brasileira, o levou a São Paulo em um avião ambulância com dois enfermeiros quando foi possível viajar dos Estados Unidos, relatou a publicação na semana passada. O casal tem uma residência na cidade desde 2015.

A nota do hospital foi publicada após surgirem nas mídias digitais e redes sociais informações sobre a suposta morte do intelectual.

"É falso. Ele está bem", escreveu Valeria Chomsky em resposta a um e-mail da AFP.

Considerado o fundador da linguística moderna, Chomsky afirmou em sua obra "Estruturas Sintáticas" (1957) que a linguagem é uma faculdade inata e que uma "gramática gerativa", conjunto de regras universais da linguagem, está inscrita no cérebro humano.

Mas ele se tornou uma figura central dos séculos XX e XXI especialmente por seu papel de intelectual engajado, em sua crítica radical à política externa dos Estados Unidos e de Israel e aos meios de comunicação.

Esse detrator da guerra do Vietnã e da invasão norte-americana ao Iraque também se aproximou de líderes esquerdistas latino-americanos como Fidel Castro, Hugo Chávez e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Chomsky visitou Lula em 2018 na prisão de Curitiba, onde o presidente cumpriu 18 meses de uma condenação por corrupção, que depois foi anulada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Por muitos anos, Chomsky integrou o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e atualmente é professor emérito de linguística na Universidade do Arizona.

rsr/ag/am

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

EUA Brasil linguística política Noam Chomsky Fidel Castro Hugo Chávez Lula

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar