Governo promete mais de R$ 50 bilhões para reconstruir o Rio Grande do Sul

O Governo Federal prometeu mais de R$ 50 bilhões para reconstruir o Rio Grande do Sul, onde se intensificou nesta quinta-feira (9) a entrega de ajuda humanitária para socorrer a população desalojada, sem eletricidade ou água, após inundações históricas.

Pelo menos 107 pessoas morreram, 754 ficaram feridas e 134 estão desaparecidas, mais de uma semana após os rios transbordarem devido às fortes chuvas no estado, segundo a Defesa Civil.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Mais de 1,7 milhão de pessoas foram afetadas, 327 mil estão desalojadas e mais de 60.000 casas foram danificadas pela catástrofe, que especialistas e o governo do país vinculam às mudanças climáticas.

As inundações também arrasaram a economia do estado, cujo governador, Eduardo Leite, disse no fim de semana que seria necessário "um plano Marshall" de reconstrução.

- Créditos para trabalhadores e empresas -

Diante da magnitude dos desastres, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu seus ministros em Brasília nesta quinta-feira para abordar políticas públicas e anunciar mais de R$ 50 bilhões para os trabalhos de reconstrução.

"Estamos falando de uma injeção de recursos da ordem de R$ 50 bilhões no Rio Grande do Sul", disse o ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

O pacote de medidas contempla principalmente a entrega de créditos e outros instrumentos de ajuda destinados a trabalhadores, empresas e municípios afetados.

"Temos que nos preparar porque a gente vai ter tamanho da grandeza dos problemas quando a água baixar e os rios voltarem à normalidade", declarou Lula. "Acho que muita gente perdeu muita coisa e nós temos que levar isso em conta."

Mais cedo, Eduardo Leite havia estimado em uma publicação na rede social X que seriam necessários R$ 19 bilhões para reconstruir o estado.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) vai destinar R$ 5,5 bilhões em recursos "para a proteção ao emprego, o apoio a empresas e projetos de reconstrução de infraestrutura", anunciou seu presidente, Ilan Goldfajn.

- Resgate do cavalo 'Caramelo' -

Socorristas seguiam buscando no Rio Grande do Sul pessoas presas em suas casas ou que temem abandoná-las por medo de saques. Também se mobilizaram para salvar um cavalo que estava ilhado no alto de um telhado em Canoas, segundo imagens que rodaram o mundo. Uma conta foi criada no Instagram para pedir o resgate desse e de outros animais.

Batizado de "Caramelo", por causa da sua cor, o cavalo foi socorrido com a ajuda de um bote inflável, em uma operação transmitida pela TV. "O cavalo Caramelo foi resgatado! Graças à mobilização dos voluntários e do Exército", comemorou a primeira-dama Janja da Silva em suas redes sociais.

A distribuição de água e alimentos aos que perderam tudo se intensificava. "O foco ainda são os resgates, mas estamos trabalhando intensamente na entrega de ajuda humanitária", disse a porta-voz da Defesa Civil, Sabrina Ribas.

Autoridades temem que a distribuição da ajuda seja dificultada "em alguma medida" nos próximos dias, acrescentou Sabrina, diante dos alertas de um "novo grande volume de chuvas" de sexta-feira a domingo na região de Porto Alegre.

- 'Ajudar é uma questão humana' -

Um complexo esportivo no centro da capital gaúcha abriga 450 desalojados pelas inundações, além de 40 cachorros e uma porca. "A solidariedade é impressionante", relata Resplande de Sá, 57, diretora da escola Mané Garrincha, localizada ao lado do abrigo, que funciona como centro de recepção de doações.

Voluntários separam edredons, agasalhos, fraldas e outros itens. "Não tinha como me sentir bem em casa. Ajudar é uma questão humana", diz Tauane Bassoler, 26. O objetivo é receber as pessoas "com carinho e dignidade", resume Vinicius Kater, secretário adjunto de Esportes de Porto Alegre e diretor do abrigo.

A catástrofe também atingiu as prisões do estado, que solicitaram assistência federal após ficarem sem abastecimento de água, informou a ONG Rede Justiça Criminal.

- Musk, Suárez e o papa -

Os gestos de solidariedade também chegam do exterior. O papa Francisco enviou 100 mil euros (R$ 555 mil reais), segundo o site Vatican News.

O magnata Elon Musk anunciou no X que sua empresa Starlink doará mil terminais de internet para as equipes de resgate no Rio Grande do Sul. "Espero o melhor para o povo brasileiro", declarou o bilionário, recentemente envolvido em embates judiciais e políticos no país.

O jogador uruguaio Luis Suárez, declarado cidadão de Porto Alegre após a sua passagem pelo Grêmio no ano passado, enviou "um forte abraço" aos moradores do estado e disse que tenta ajudar à distância, em um vídeo publicado no Instagram.

mr-rsr/app/db/yr/mvv-lb

X

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil clima inundações emergência Eduardo Leite Lula Fernando Haddad Garrincha Musk Papa Francisco Elon Musk

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar