Peso Pluma, o homem-aranha mexicano enredado de polêmicas

Peso Pluma se identifica com o Homem-Aranha, um apelido do artista que saltou da ficção para o auge do sucesso musical depois de globalizar o corrido mexicano.

Mas, além de sua rápida ascensão e demonstração de versatilidade, esse super-herói da música urbana tem de enfrentar a suspeita de que suas composições romantizam a cultura do narcotráfico.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Verdade ou não, Peso Pluma não se cansa de bater recordes em plataformas digitais, a ponto de o ex-presidente dos EUA Barack Obama incluir o hit "Ella baila sola" em sua famosa 'playlist' anual.

Em fevereiro, ele ganhou o Grammy de melhor álbum de música mexicana por seu álbum "Génesis".

Seu próximo feito acontecerá nesta sexta-feira, quando ele chegará ao Coachella como o primeiro artista regional mexicano a ser a atração principal do maior festival de música dos Estados Unidos, realizado em Indio, Califórnia.

"Ele mesmo se identifica com o Homem-Aranha, e é também por isso que tem o 'Double P' (de Peter Parker, o personagem que se transforma em Homem-Aranha) em seu nome artístico. Ele se vê como uma espécie de super-herói, o novo herói da música mexicana", disse à AFP Uriel Waizel, líder da equipe editorial da plataforma Spotify México.

Aos 24 anos, Hassan Emilio Kabande Laija - seu nome verdadeiro - se apresentará no Coachella depois de ser considerado pela revista Rolling Stone como "o maior novo artista do planeta", e com a façanha de globalizar o gênero regional com seus corridos tumbados, que misturam esse ritmo tradicional mexicano com rap e hip hop.

Peso Pluma levou um ano para se tornar um dos artistas mais esperados no Coachella, nos dias 12 e 19 de abril. Em 2023, ele se apresentou como convidado da americana Becky G, mas "desta vez o México vai agitar a casa", comemorou o artista há alguns dias, enquanto caminhava pelo tapete vermelho em Los Angeles.

Seu papel de protagonista no Coachella vem depois da controvérsia que o afastou do festival chileno de Viña del Mar em janeiro. A polêmica se concentrou no fato de que algumas pessoas consideraram suas músicas como uma apologia ao tráfico de drogas.

Peso Pluma se recusou a se apresentar, alegando "motivos pessoais, uma desculpa que coincidiu com o fim de seu relacionamento com a cantora argentina Nicki Nicole devido à suposta infidelidade.

Peso Pluma apresenta uma variedade de estilos, desde o sierreño romântico até canções dançantes de reggaeton, mas também canta corridos tumbados, um subgênero que geralmente trata de armas e drogas.

O ritmo é tão controverso que o presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador pediu aos jovens que considerassem outros gêneros e propôs sua própria 'playlist'.

Mas o artista justifica suas letras com a "realidade" mexicana. "É o que eu vejo. É o meu trabalho, é o que eu expresso", disse ele ao Soy Grupero em 2022.

nc/axm/jla/nn/dga/dd/aa

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

música México crime narcotráfico Jimmy Fallon Becky G Barack Obama Andrés Manuel López Obrador

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar