Participamos do

Veículo explode em frente a complexo carcerário em Guayaquil

00:01 | Abr. 26, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Um veículo explodiu nesta segunda-feira (25) em frente a um complexo carcerário do porto equatoriano de Guayaquil, informou a polícia sem reportar vítimas.

A autoridade não informou se se tratou de um ataque com carro-bomba nas imediações do complexo carcerário, onde morreram centenas de presos desde o ano passado nas piores chacinas registradas no país.

"Nossas unidades continuam no levantamento de indícios e coletando informação, após a explosão de um veículo", informou a instituição policial em sua conta no Twitter.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em imagens divulgadas pela polícia é possível ver um carro totalmente destruído e algumas peças espalhadas na rua.

O grande complexo penitenciário de Guayaquil inclui uma prisão de segurança máxima, para onde foram transferidos os presos identificados como líderes de grupos criminosos vinculados ao narcotráfico, após o último massacre entre detentos no começo de abril.

No âmbito destes confrontos, 20 detentos morreram na prisão de El Turi, em Cuenca (sudeste).

A prisão Guayas 1, a principal do complexo de Guayaquil, tem sido cenário dos piores massacres por causa de uma guerra pelo poder entre detentos pertencentes a organizações de narcotraficantes. A violência provocou a morte de 232 presos desde fevereiro de 2021 só neste complexo.

Os confrontos em diversas prisões do país deixaram desde então um total de 350 mortos.

O ministro do Interior, Patricio Carrillo, reconheceu há uma semana que o Equador atravessa uma "crise de insegurança", vinculada à violência criminosa, que este ano provocou a morte de 1.180 pessoas.

A violência aumentou juntamente com o narcotráfico. Em 2021 a polícia apreendeu o recorde anual de 210 toneladas de drogas, sobretudo cocaína. Em 2022, as apreensões chegaram a cerca de 70 toneladas.

Fronteiriço com Colômbia e Peru, maiores produtores de cocaína no mundo, o território equatoriano serve de porto de saída de cargas ilícitas para os Estados Unidos e a Europa, principalmente.

pld/sp/vel/rsr/mvv

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar