Participamos do

Zelensky lamenta recusa de Macron a falar em 'genocídio' na Ucrânia

17:27 | Abr. 13, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

A recusa do presidente francês, Emmanuel Macron, a classificar como "genocídio" os abusos cometidos pelo governo russo na Ucrânia é "muito dolorosa", disse nesta quarta-feira seu colega Volodymyr Zelensky.

"Coisas como essa são muito dolorosas para nós, então farei o meu melhor para discutir esse assunto com ele hoje", disse o presidente, durante entrevista coletiva com os chefes de Estado da Polônia, Lituânia, Estônia e Letônia em Kiev. "Se não for possível, será amanhã."

Macron decidiu não retomar a palavra "genocídio", usada por seu colega americano, Joe Biden, nesta terça-feira, e advertiu que a escalada verbal não ajuda a acabar com a guerra.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Eu diria que a Rússia desencadeou unilateralmente uma guerra brutal, que estabeleceu-se que o Exército russo cometeu crimes de guerra e que agora é necessário encontrar os responsáveis e que respondam ante a Justiça", declarou Macron à TV pública France 2. "O que acontece é uma loucura, é inacreditavelmente brutal", acrescentou.

Nesta quarta-feira, o primeiro-ministro canadense mencionou pela primeira vez que "um genocídio" ocorre na Ucrânia. A Rússia afirma que se tratam de "montagens" e "informações falsas" orquestradas pelos ucranianos.

bur-rbj/all/fjb/bl/sag/lb

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar
1