Participamos do

Homem com máscara de gás atira em 10 pessoas no metrô de Nova York

16:32 | Abr. 12, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Um homem usando uma máscara de gás abriu fogo e feriu 10 pessoas dentro de um trem lotado do metrô de Nova York, durante a hora do rush matinal desta terça-feira (12), após detonar uma bomba de fumaça.

A polícia iniciou uma enorme operação de caça ao atirador, mas ressaltou que o incidente no Brooklyn não estava sendo investigado como um ato de terrorismo e que nenhum dos feridos corre risco de morte.

A comissária do Departamento de Polícia de Nova York, Keechant Sewell, disse em uma coletiva de imprensa que o suposto atirador colocou a máscara de gás assim que o trem estava chegando à estação da rua 36.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Ele depois acionou o recipiente que estava em sua mochila e o vagão logo se encheu de fumaça. Em seguida, começou a atirar", afirmou Sewell.

O Departamento dos Bombeiros informou que outras seis pessoas ficaram feridas, enquanto os passageiros em pânico tentavam sair do vagão repleto de fumaça. O trem parou na plataforma pouco depois que os tiros foram disparados.

Sewell descreveu o suspeito, que agiu sozinho, como um "homem negro de aproximadamente 1,65 de altura e corpulento", vestindo um colete verde usado por operários de construção e um moletom cinza com capuz.

A polícia foi alertada sobre o incidente pouco antes das 08h30 locais (09h30 em Brasília).

Imagens verificadas que foram publicadas nas redes sociais mostram a composição parando na estação da rua 36, com fumaça saindo pelas portas, enquanto os passageiros corriam para fora, alguns deles aparentemente feridos.

Um dos passageiros, Yav Montano, contou à emissora CNN que estava dentro do vagão quando a fumaça começou a se espalhar pelo mesmo e os tiros foram deflagrados.

"Na hora, não pensei que se tratava de um tiroteio porque pareciam fogos de artifício", afirmou. "Pareciam apenas alguns estouros dispersos", acrescentou.

No momento do incidente, havia entre 40 e 50 passageiros dentro do vagão. Eles se amontoaram na parte da frente, segundo Montano, mas sem conseguir acessar o próximo vagão porque a porta estava trancada.

"Havia gente no outro vagão que viu o que estava acontecendo. Eles até tentaram abrir a porta, mas não conseguiram", contou.

A CNN exibiu um vídeo curto feito por Montano dentro do vagão, mostrando passageiros amontoados, alguns usando máscaras e outros cobrindo suas bocas com algum tipo de tecido para se protegerem da fumaça.

"Algumas pessoas estavam com suas roupas cobertas de sangue", disse Montano, que acrescentou que não sabia dizer quem estava ferido. "Tudo que sei e que vi é que havia muito sangue", relatou.

Assim que o trem chegou à plataforma, as portas se abriram.

"As pessoas saíram, esqueceram bolsas e sapatos, e deixaram tudo para saírem dali o mais rápido possível", disse Montano.

Outras imagens publicadas no Instagram mostram passageiros cuidando de vítimas ensanguentadas deitadas em uma plataforma de estação cheia de fumaça.

Essas imagens também mostram funcionários do metrô conduzindo passageiros em pânico, alguns ainda segurando seus copos de café, para fora da plataforma e para dentro dos vagões de um trem estacionado.

O departamento de polícia tuitou que não havia "nenhum dispositivo explosivo ativo neste momento", depois que os bombeiros disseram à AFP que "diversos dispositivos não detonados" haviam sido recuperados no local do incidente.

A polícia de Nova York pediu que as pessoas se mantivessem afastadas do local e instou as testemunhas a entrarem em contato por telefone para oferecer qualquer informação.

A Casa Branca assinalou que o presidente Joe Biden foi informado sobre o incidente e estava em contato com as autoridades de Nova York.

A governadora Kathy Hochul prometeu oferecer atualizações regulares conforme as investigações vão se desenvolvendo.

Episódios violentos envolvendo atiradores acontecem com relativa frequência nos Estados Unidos, onde as armas de fogo têm relação com aproximadamente 40.000 mortes por ano, incluindo suicídio, de acordo com o site Gun Violence Archive.

Os tiroteios na cidade de Nova York cresceram este ano e o aumento dos crimes violentos com armas se tornou uma das prioridades do prefeito Eric Adams desde que ele assumiu o cargo em janeiro. Até o dia 3 de abril, incidentes com uso de arma de fogo subiram para 296, enquanto, no mesmo período do ano passado, foram registrados 260, segundo as estatísticas da polícia.

O incidente acontece um dia depois de Biden ter anunciado novas medidas para o controle de armas, aumentando as restrições sobre as chamadas "armas-fantasmas", que são difíceis de rastrear e podem ser montadas em casa.

Leis brandas sobre armas e o direito constitucional de portar armamento têm frustrado repetidamente as tentativas de reduzir o número de armas em circulação no país, apesar de a maioria da população americana ser favorável a controles mais rígidos.

Três quartos de todos os homicídios nos EUA são cometidos com armas de fogo, e o número de pistolas, revólveres e outros armamentos comercializados não para de crescer.

arb-st/ec/rpr

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar
1