Participamos do

Biden espera ganhar impulso após nomeação histórica da Suprema Corte

22:46 | Abr. 08, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

A entrada da juiz negra Ketanji Brown Jackson na Suprema Corte é uma vitória inegável para Joe Biden, em um momento em que o presidente dos Estados Unidos precisa urgentemente de um impulso político, a poucos meses das eleições de meio de mandato.

O democrata de 79 anos, que quer aproveitar politicamente esta nomeação histórica, saiu do seu caminho nesta sexta-feira para homenagear a magistrada de 51 anos nos jardins da Casa Branca.

Usando óculos escuros e com um grande sorriso, Joe Biden chegou acompanhado de Ketanji Brown Jackson e da vice-presidente Kamala Harris, a primeira mulher e afro-americana nesta posição. O trio foi aplaudido de pé pelo público, composto por autoridades e ativistas dos direitos civis.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Lembraremos deste momento como um verdadeiro ponto de virada na história americana", disse Biden.

O democrata também aproveitou a oportunidade para lembrar que havia nomeado muitas mulheres afro-americanas ou de minorias para cargos-chave no sistema judiciário norte-americano.

Antes dessa cerimônia, Biden recebeu a magistrada na Casa Branca para anunciar que a havia escolhido como candidata ao cargo, em 25 de fevereiro.

E, na quinta-feira, o presidente e Ketanji Brown Jackson assistiram juntos à transmissão da votação no Senado confirmando a indicação.

Com as eleições de meio de mandato em novembro se aproximando, tradicionalmente difíceis para o partido no poder, Joe Biden precisa de um balão de oxigênio.

Os Estados Unidos estão desfrutando de uma recuperação econômica extremamente rápida e um mercado de trabalho próspero, mas os americanos só têm olhos para os preços disparados em postos de gasolina e supermercados devido à inflação descontrolada.

Embora sua popularidade na opinião pública tenha melhorado após a invasão da Ucrânia, ao assumir a liderança da resposta ocidental, sua glória durou pouco, em um país onde as divisões entre os partidos são tensas desde a presidência do republicano Donald Trump.

Essas divisões se cristalizaram nas audiências de Ketanji Brown Jackson.

Joe Biden acusou senadores republicanos de submeter seu candidato a "insultos verbais" e "alegações desprezíveis e infundadas".

Embora três republicanos tenham votado a favor de Ketanji Brown Jackson, sua situação não é comparável com a manifestação bipartidária em torno de Stephen Breyer, que ela substituirá na Suprema Corte. O juiz foi confirmado no cargo por uma votação de 87 a 9 pelo Senado em 1994. Brown Jackson foi confirmada por uma votação de 53 a 47.

Com esta nomeação, Joe Biden espera remobilizar um eleitorado crucial para ele e para os democratas em geral: os afro-americanos.

Inúmeros ativistas criticaram o presidente por ter abandonado as promessas que havia feito a eles relacionadas ao combate à violência policial e à defesa do acesso ao voto.

Mas no gramado da Casa Branca nesta sexta-feira, Ketanji Brown Jackson certamente desarmou muitos ressentimentos e, francamente, roubou os holofotes de Joe Biden, com um discurso comovente e sincero.

"Demorou 232 anos... antes que uma mulher negra fosse eleita para servir na Suprema Corte dos Estados Unidos, mas conseguimos!", declarou. "Na minha família, levou apenas uma geração para passar da segregação à Suprema Corte", lembrou.

Diante de uma plateia visivelmente emocionada, prestou homenagem aos ativistas dos direitos civis e suas lutas, com estas linhas da grande poetisa e ativista Maya Angelou: "Trazendo os presentes legados por meus ancestrais, sou o sonho e a esperança do escravo".

aue/ube/erl/dga/am

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar