Participamos do

Hungria aceita pagar gás russo em rublos, diz premiê

13:43 | Abr. 06, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O governo húngaro se mostrou disposto, nesta quarta-feira (6), a pagar em rublos, se necessários, sua importação do gás russo, ao contrário de outros países da União Europeia (UE) que rejeitaram esse pedido por parte da Rússia.

"Não vemos problema no pagamento em rublos. Se é o que os russos querem, pagaremos em rublos", disse o primeiro-ministro Viktor Orban, em entrevista coletiva em Budapeste.

A Rússia ameaçou cortar o fornecimento de gás para países "hostis" que se recusassem a pagar em rublos. A medida afetaria, sobretudo, a UE, bastante dependente deste recurso.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A Hungria é o primeiro país a se distanciar da unidade europeia sobre o tema, já que os outros países rejeitaram qualquer pagamento em rublos à Rússia.

Um pouco antes, o ministro húngaro das Relações Exteriores, Peter Szijjarto, havia declarado que a UE não desempenha qualquer papel no fornecimento de gás, "regido por um contrato bilateral".

"A vontade da Comissão Europeia de ter uma resposta comum dos países importadores não nos parece necessária", descartou.

"Uma solução técnica" para aplicar a conversão deve ser encontrada entre agora e a primeira obrigação de pagamento ao gigante russo do setor Gazprom no final de maio, completou.

A Hungria também é fortemente dependente dos fornecimentos de energia por parte de Moscou.

Na terça-feira (5), a Comissão Europeia propôs aos 27 países do bloco o endurecimento das sanções contra a Rússia, cessando suas compras de carvão russo, que representam 45% das importações da UE, e fechando os portos europeus para navios russos.

Além da Hungria, Alemanha e Áustria expressaram publicamente suas reservas quanto a estas medidas.

pmu-mg/anb/bg/cco/eg/mis/tt

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar