Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Will Smith dá tapa em Chris Rock e gera indignação no Oscar

14:25 | Mar. 28, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O ator Will Smith invadiu o palco da cerimônia do Oscar no domingo e deu um tapa no rosto do comediante Chris Rock, por ele ter feito uma piada sobre a sua mulher, um momento que viralizou e deixou o público atônito.

Ao apresentar o prêmio de melhor documentário com um breve número de comédia, Rock fez uma piada comparando o cabelo curto de Jada Pinkett Smith com a personagem de cabelo raspado de Demi Moore no filme de 1997 "GI Jane".

Em um momento que causou um silêncio constrangedor no teatro, Smith caminhou até Rock e lhe deu um tapa no rosto, antes de retornar ao seu lugar ao lado de Jada e gritar obscenidades.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Mantenha o nome da minha mulher fora da p**** da sua boca", gritou Smith, o que levou os produtores a cortar o áudio da transmissão pela TV por alguns segundos.

Jada Pinkett Smith, que também é atriz, sofre de alopecia, condição que provoca a queda de cabelo, e revelou publicamente seu diagnóstico em 2018.

O Departamento de Polícia de Los Angeles (LAPD) afirmou que estava "a par" do incidente que "envolveu um indivíduo dando um tapa em outro", mas o "indivíduo envolvido se negou a apresentar uma denúncia".

"Se a parte envolvida desejar fazer um denúncia policial em uma data posterior, o LAPD estará disponível para completar um boletim de ocorrência", afirma um um comunicado.

Após a transmissão da cerimônia, a Academia escreveu no Twitter que "não aprova a violência de nenhuma forma", sem fazer referência direta ao incidente.

"Esta noite temos o prazer de celebrar os vencedores da 94ª edição do Oscar, que merecem este momento de reconhecimento por parte de seus colegas e fãs do cinema de todo o mundo", afirmou.

A condenação mais forte veio do ator e diretor americano Judd Apatow em um tuíte que depois deletou, mas foi replicado pela atriz Mia Farrow: Will Smith "poderia tê-lo matado. Ele simplesmente perdeu o controle de sua raiva e violência (...) perdeu a cabeça."

Mia Farrow, no entanto, defendeu o comediante Chris Rock. "Ele apenas fez uma piada, como ele sabe fazer", disse ele.

O jogador de basquete do Golden State Warriors, Stephen Curry, disse nesta segunda-feira que "ainda estava em choque como todos os outros".

Curry prestou homenagem ao ator Denzel Washington que, domingo à noite durante a cerimônia, confortou Will Smith dizendo: "Nos seus momentos mais intensos, cuidado, é aí que o diabo vem!"

Para a escritora britânica Bernardine Evaristo, cujo pai é nigeriano, Smith desperdiçou a chance de dar o exemplo, especialmente para os afro-americanos.

"Smith é apenas o quinto negro a ganhar o Oscar de Melhor Ator, ele recorre à violência em vez de usar o poder das palavras para derrotar Chris Rock", tuitou.

Segundo Scott Feinberg, da "The Hollywood Reporter", que estava no teatro, um Smith choroso teve que ser "afastado e confortado" por Denzel Washington e Tyler Perry durante o intervalo comercial.

"Will e Chris, vamos resolver isso como uma família. Neste momento, seguindo em frente com amor", disse o cantor e ator Sean "Diddy" Combs, ao dar continuidade à apresentação da cerimônia.

Minutos depois, Smith, 53 anos, subiu de novo ao palco para receber o prêmio de melhor ator por seu papel como o pai das estrelas do tênis Venus e Serena Williams em "King Richard: Criando Campeãs".

Sem conter as lágrimas, Smith disse que "Richard Williams era um feroz defensor de sua família" e que "a arte imita a vida".

"Eu pareço o pai maluco, como falavam de Richard Williams. Mas o amor te leva a fazer loucuras", acrescentou.

"Espero que a Academia me convide de novo", disse Smith depois de pedir desculpas aos organizadores do evento e aos colegas indicados.

Mas Smith também recebeu apoio. Liam Payne, ex-cantor do One Direction, disse a repórteres: "Acho que ele tinha o direito de fazer o que fez".

A deputada democrata Ayanna Pressley, que tem queda de cabelo, agradeceu a Smith.

"Parabéns a todos os maridos que defendem suas esposas que sofrem de alopecia da ignorância e dos insultos cotidianos", tuitou Pressley, depois deletando a mensagem.

O deputado democrata Jamaal Bowman também recorreu ao Twitter e depois apagou o texto: "Uma lição a aprender: não brinque com o cabelo de uma mulher negra".

amz/ad/dga/lb/fp/jc

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar