Participamos do

Sullivan: EUA não têm notícia de envio de equipamento militar da China para Ucrânia

16:11 | Mar. 23, 2022
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Conselheiro de Segurança Nacional americano, Jake Sullivan afirmou nesta quarta-feira, 23, que os Estados Unidos "não têm notícia" sobre o envio de equipamento militar da China para a Rússia, mas comentou que autoridades americanas continuam a monitorar a questão. Durante entrevista coletiva a bordo do avião presidencial, ele disse que a China foi orientada a não contornar as sanções já impostas contra a Rússia por causa da invasão militar na Ucrânia.

Sullivan comentou também que o G7, que se reúne nesta quinta-feira, deve reforçar as sanções existentes contra a Rússia, para evitar que o país contorne as punições, e apontou que isso se aplica também à China. Segundo o conselheiro, os EUA não querem que a China compense as exportações perdidas pelos russos por causa de restrições impostas em punição por causa da ação na Ucrânia.

Vice-porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre também estava presente na coletiva. Questionada sobre a eventual liberação de mais reservas estratégicas de petróleo pelo governo, ela disse que os EUA continuam a avaliar a eventual necessidade de liberar mais dessas reservas, sem descartar que isso possa ocorrer nem confirmar novos envios.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Sullivan comentou também sobre a viagem do presidente Joe Biden à Europa. Segundo ele, amanhã Biden deve se encontrar em Bruxelas com o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg. O conselheiro ressaltou que a Otan não está envolvida diretamente na guerra, mas tem a função de garantir a segurança de seus próprios membros. Ainda segundo Sullivan, após os encontros previstos Biden deve falar à imprensa. Em outro momento da coletiva, o funcionário adiantou que o governo americano deve ter "mais a dizer sobre questões de energia" na sexta-feira, após as conversas com autoridades europeias.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Leia Mais.

Aceitar