Participamos do

Russos fazem filas para comer os últimos sanduíches antes do McDonald's fechar

O diretor-geral do McDonald's, Chris Kempczinski, disse em comunicado que a empresa continuará remunerando os mais de 62 mil funcionários em todo o país
18:18 | Mar. 14, 2022
Autor Antoyles Batista
Foto do autor
Antoyles Batista Repórter de Mídias Sociais
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Dias antes do McDonald's fechar temporariamente os 850 restaurantes na Rússia e suspender todas as operações na país, as unidades da rede de lanchonetes americana registraram longas filas para comer oque pode ser último sanduíche da marca servido em solo russo.

Na última terça-feira, 8, a rede de fast-food anunciou o fechamento temporário de suas lojas por causa do conflito na Ucrânia, seguindo a linha de outras multinacionais que também decidiram suspender as atividades depois da invasão russa. 


Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Após o anúncio, os russos lotaram as lanchonetes do McDonald's. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram várias pessoas se espremendo nos estabelecimentos para comer os últimos hambúrgueres da marca no país. 

Em um dos vídeos, é possível ver o pianista Nikas Safronov, acorrentado a uma das lanchonetes. "Eles não têm o direito de fechar", falou o homem antes de ser levado pela polícia. 

 Em outro, os funcionários do McDonald's de São Petersburgo foram flagrados cantando pouco antes da loja ser fechada.

 

 O diretor-geral do McDonald's, Chris Kempczinski, disse em comunicado que a empresa continuará remunerando os mais de 62 mil funcionários em todo o país. Ele acrescentou que sabe do impacto que a decisão terá entre os parceiros da franquia no país. Ainda não é possível prever quando as lanchonetes serão abertas novamente.

Outras marcas também anunciaram o suspensão de suas lojas na Rússia, como Starbucks, KFC, Pizza Hut, Coca-Cola e Heineken. As marcas Adidas, Nike e Puma, de vestuário, já se pronunciaram sobre o assunto e decidiram suspender suas atividades. Entre os fabricantes de veículos, Toyota, Volkswagen, Audi, Lamborghini e BMW, também aderiram ao movimento.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags