Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Saída de refugiados ucranianos acelera nas últimas 24 horas

11:35 | Mar. 10, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O ritmo de saída de refugiados que fogem dos combates na Ucrânia acelerou nas últimas 24 horas, com mais de 160.000 pessoas atravessando a fronteira, elevando o total para mais de 2,3 milhões, segundo o último balanço da ONU publicado nesta quinta-feira(10).

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) contabiliza 2.316.002 refugiados que fugiram da guerra da Ucrânia, segundo os dados publicados nesta quinta-feira às 11H00 GMT (8H00 de Brasília).

São 160.731 refugiados adicionais na comparação com terça-feira.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A marca dos dois milhões foi superada na véspera, somente 12 dias depois do início do conflito, disse Filippo Grandi, alto comissário para os refugiados, o que representa o fluxo de exilados mais rápido no continente europeu desde a Segunda Guerra Mundial.

As autoridades na zona de guerra e a ONU asseguram que este fluxo vai aumentar ainda mais. Várias tentativas de abrir corredores humanitários fracassaram desde o início da guerra, mas um novo acordo foi alcançado na manha desta quarta-feira.

Segundo a ONU, até quatro milhões de pessoas poderão abandonar o país por causa do conflito.

Antes do começo do conflito, a Ucrânia tinha mais de 37 milhões de habitantes nos territórios controlados por Kiev, o que não inclui a península da Crimeia - anexada pela Rússia em 2014 - nem as duas zonas que estão nas mãos dos separatistas pró-russos no leste do país.

A Polônia recebe mais da metade dos refugiados, ou seja 1.412.503, segundo o balanço do Acnur de 8 de março.

Os agentes fronteiriços poloneses anunciaram nesta quinta-feira pela manhã que 1.430.000 pessoas entraram no país procedentes da Ucrânia durante o conflito. Na terça-feira, as autoridades registraram 142.400 entradas.

Antes da crise, 1,5 milhões de ucranianos já viviam na Polônia, em sua maioria para trabalhar em um país membro da União Europeia.

A Hungria acolheu até o momento 214.160 refugiados, um pouco menos de 10% do total, segundo o Acnur.

O país conta com cinco postos fronteiriços com a Ucrânia e várias cidades limítrofes, como Zahony, colocaram edifícios públicos à disposição para alojar os ucranianos.

165.199 ucranianos fugiram em direção à Eslováquia desde o início da guerra, segundo a agência da ONU.

O número de pessoas que se refugiaram na Rússia se estabeleceu em 97.098 pessoas até a data de 8 de março, sem mudanças em relação à véspera.

O Acnur apontou que, entre 18 e 23 de fevereiro, 96.000 pessoas passaram dos territórios separatistas pró-russos de Donetsk e Lugansk para a Rússia.

O número de ucranianos chegados à Moldávia, um pequeno país de 2,6 milhões de habitantes e um dos mais pobres da Europa, não se alterou desde domingo na contagem do Acnur.

De acordo com as autoridades moldavas, em 24 de fevereiro, 270.306 pessoas entraram no país da Ucrânia e 169.364 partiram de outros lugares.

Segundo esta última cifra disponível, 82.762 refugiados chegaram à Moldávia, ainda que uma parte siga seu caminho rumo à Romênia ou Hungria, onde têm familiares.

O Acnur contabilizou 84.671 refugiados até domingo. Como na Moldávia, muitos refugiados decidem seguir para outros países mais ao oeste.

A agência da ONU também contabilizou que 258.844 pessoas refugiaram-se em outros países europeus, mais distantes das fronteiras ucranianas.

burs-vog/nl/dbh/zm/jc

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar