Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Presidente chinês pede "contenção máxima" na Ucrânia em conversa com Macron e Scholz

09:17 | Mar. 08, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O presidente chinês, Xi Jinping, pediu nesta terça-feira "contenção máxima" no conflito sobre a Ucrânia e expressou sua profunda preocupação, durante uma videoconferência com o presidente francês Emmanuel Macron e o chanceler alemão Olaf Scholz, informou a imprensa estatal.

A China, que tem boas relações com Moscou, se recusou até o momento a usar o termo invasão e se limitou a "lamentar" o conflito no país, ao mesmo tempo que afirma "entender" as preocupações da Rússia com a segurança.

Porém, durante a conversa, Xi declarou que estava "profundamente triste por acompanhar uma nova guerra no continente europeu", segundo a televisão pública chinesa CCTV.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Queremos fazer um apelo por contenção máxima para evitar uma grande crise humanitária", acrescentou Xi, sem condenar a ofensiva iniciada em 24 de fevereiro pelo presidente russo, Vladimir Putin.

Xi disse a Macron e Scholz que "aprecia os esforços de França e Alemanha para atuar como mediadores na Ucrânia".

Pequim também está disposto a desempenhar "um papel ativo", afirmou Xi, segundo a emissora.

"Devemos apoiar juntos as negociações de paz entre Rússia e Ucrânia", afirmou Xi, embora até o momento as rodadas de negociações em Belarus não tenham apresentado resultados.

A China "está pronta para proporcionar ajuda humanitária à Ucrânia", prometeu o presidente chinês.

Xi reiterou a oposição de seu país às sanções internacionais e afirmou que as medidas tomadas contra Moscou "provocarão danos a todas as partes".

sbr/bar/jvb/bl/zm/es/fp

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar