Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Mais de 1,5 milhão de refugiados ucranianos pela invasão da Rússia

12:57 | Mar. 06, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

Mais de 1,5 milhão de pessoas fugiram da Ucrânia desde o início da invasão russa em 24 de fevereiro, de acordo com os dados atualizados da ONU publicados neste domingo.

O Alto Comissariado das Nações Unidos para os Refugiados (ACNUR) contabiliza 1.534.792 refugiados que fugiram da guerra da Ucrânia, segundo os números publicados neste domingo às 13H35 GMT (10H55 de Brasília).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

As autoridades da ONU esperam que o fluxo aumente, já que o exército russo parece concentrar seus ataques nas grandes cidades ucranianas.

"Mais de 1,5 milhão de refugiados da Ucrânia entraram nos países vizinhos em 10 dias. Esta é a crise de refugiados de crescimento mais rápido na Europa desde a Segunda Guerra Mundial", tuitou o alto comissário da ONU para os refugiados, Filippo Grandi.

Os números incluem o território controlado por Kiev, com mais de 37 milhões de habitantes, mas não a península da Crimeia - anexada pela Rússia em 2014 - nem as duas áreas controladas pelos separatistas pró-russos no leste do país.

De acordo com a ONU, até quatro milhões de pessoas podem abandonar o país devido ao conflito.

A Polônia é o país que recebeu o maior número de refugiados, a maioria mulheres e crianças, pois os homens em idade de combater não podem abandonar o país.

Segundo os guardas fronteiriços poloneses, o número de refugiados que entrou no país desde 24 de fevereiro é de 885.303.

No sábado, a Polônia registrou o recorde de entradas, com 129.000 refugiados em apenas um dia.

A maioria dos refugiados tem nacionalidade ucraniana, mas também há poloneses, uzbeques, bielorrussos, indianos, nigerianos, marroquinos, afegãos, paquistaneses, americanos e russos.

Na Polônia, onde já viviam 1,5 milhão de ucranianos antes da ofensiva russa, as pessoas se organizam nas redes sociais para arrecadar dinheiro e medicamentos e também oferecem moradia, comida, trabalho e transportes gratuitos aos refugiados.

A Hungría recebeu 169.053 refugiados, segundo o Acnur, 11% do total e 12.000 a mais que sábado.

O país possui cinco postos fronteiriços com a Ucrânia e várias cidades limítrofes, como Zahony, disponibilizaram edifícios públicos para alojar ucranianos

Um total de 113.967 moradores da Ucrânia fugiram para a Eslováquia devido à guerra.

Um total de 12.450 refugiados atravessaram a fronteira entre os países no sábado.

Um total de 84.067 refugiados chegaram ao território moldavo até domingo, de acordo com o Acnur, mas as autoridades do país elevam o número a mais de 120.000.

A primeira-ministra da Moldávia, Natalia Gavrilita, pediu aos Estados Unidos ajuda humanitária para ajudar os refugiados, durante uma visita ao país do secretário de Estado americano, Antony Blinken.

O Acnur contabilizou 71.640 refugiados procedentes da Ucrânia. Dois campos foram instalados, um em Sighetul e outro em Siret.

O Acnur indicou que 53.300 pessoas cruzaram a maior fronteira da Ucrânia com outro país.

A agência da ONU também informou que 157.056 pessoas, 10% do total, se refugiaram em outros países europeus, mais distantes das fronteiras da Ucrânia.

burs-apo/cl/eb/mb/fp

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar