Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Governo dos EUA quer reforçar poder bélico da Polônia para ajudar Ucrânia

O governo dos Estados Unidos está procurando maneiras de reabastecer o arsenal da Polônia caso o país concorde em fornecer alguns de seus jatos de combate, da era soviética, para a Ucrânia, disse o secretário de Estado Anthony Blinken.

No sábado, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fez um apelo ao Capitólio por assistência na obtenção de ajuda militar mais letal, especialmente por caças a jato fabricados na Rússia que os pilotos ucranianos poderiam pilotar.

"Estamos analisando a questão dos aviões que a Polônia pode fornecer à Ucrânia", disse Blinken na Moldávia, durante uma escala pela Europa para tranquilizar aliados. Blinken afirmou que os EUA estão trabalhando com Zelensky e outras autoridades ucranianas para obter uma "avaliação atualizada de suas necessidades".

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os EUA e os parceiros avaliarão o que pode ser fornecido, disse ele. "Não posso falar com uma linha do tempo, mas posso apenas dizer que estamos analisando isso muito, muito ativamente", disse ele a repórteres.

O gabinete do primeiro-ministro da Polônia rejeitou um possível acordo para o país entregar aviões de combate ao país vizinho. "A Polônia não enviará seus caças para a Ucrânia, nem permitirá o uso de seus aeroportos", disse a chancelaria do primeiro-ministro, Mateusz Morawiecki, em conta oficial no Twitter. "Nós ajudamos significativamente em muitas outras áreas."

Pertencem à Polônia alguns jatos de combate MiG-29 de fabricação soviética, juntamente com caças F-16 da Lockheed Martin Corp. dos EUA, além de outros tipos de aeronaves.

(Com Dow Jones Newswires)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar