Participamos do

Biden diz que votação na ONU mostrou Rússia isolada internacionalmente

O Brasil votou a favor da resolução que condena ataques da Rússia, enquanto a China esteve entre as abstenções. Rússia, Coreia do Norte, Síria, Eritreia e Belarus votaram contra a medida
22:00 | Mar. 02, 2022
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, celebrou nesta quarta-feira, 2, a votação de uma resolução na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que condena os ataques da Rússia à Ucrânia. Em comunicado, o americano afirma que a aprovação expõe o isolamento do presidente russo Vladimir Putin. Segundo Biden, a medida também responsabiliza a Belarus pelo seu envolvimento "inaceitável" nesta guerra.

"O mundo está rejeitando as mentiras da Rússia. Todos podemos ver o que está acontecendo na Ucrânia com nossos próprios olhos. A Rússia é responsável pelos abusos devastadores dos direitos humanos e pela crise humanitária internacional que estamos assistindo se desenrolar na Ucrânia em tempo real", afirma Biden. Segundo o líder, o movimento extraordinário da ONU "demonstra a extensão da indignação global com o terrível ataque da Rússia a um vizinho soberano e mostrou uma unidade global sem precedentes".

 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"A Rússia ficou isolada, com o apoio de apenas quatro estados brutais e autoritários", disse o americano. Do total, 141 países votaram a favor e cinco contra, sendo 35 se abstiveram. O Brasil votou a favor da resolução, enquanto a China esteve entre as abstenções. Além da Rússia, Coreia do Norte, Síria, Eritreia e Belarus votaram contra a medida.

Segundo o presidente a ONU foi fundada para "salvar gerações do flagelo da guerra". "Juntos, devemos - e iremos - responsabilizar a Rússia por suas ações. Demonstraremos que a liberdade sempre triunfa sobre a tirania", concluiu Biden.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags