Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

China pede moderação e segurança para todos os envolvidos no conflito na Ucrânia

A China está pedindo moderação de "todas as partes" na guerra da Rússia contra a Ucrânia, dando continuidade aos seus esforços para expressar apoio ao seu aliado do norte sem endossar totalmente a invasão.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, reiterou nesta terça-feira o apelo da China para que as "preocupações razoáveis de segurança" de todos os países sejam respeitadas e afirmou que a questão da Ucrânia tem "uma realidade complexa".

As "legítimas exigências de segurança da Rússia devem ser levadas a sério e devidamente abordadas" diante da expansão da Otan para o leste, disse Wang a repórteres. "Lamentamos as vítimas. A situação atual não é algo que queremos ver", acrescentou.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Wang destacou ser "imperativo que todas as partes mantenham a contenção necessária para evitar que a situação no terreno se deteriore ainda mais ou até saia do controle, e se esforcem para proteger efetivamente a vida e a propriedade dos civis, especialmente para evitar uma crise humanitária em grande escala".

A China alinhou amplamente sua política externa com a da Rússia nos últimos anos como parte de esforços conjuntos para desafiar a ordem internacional liberal liderada pelos Estados Unidos.

Durante uma visita do presidente russo, Vladimir Putin, a Pequim no início do mês passado, a China endossou as objeções de Putin a uma maior expansão da Otan e a Rússia apoiou a reivindicação da China à democracia insular autônoma de Taiwan.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar