Participamos do

Rússia toma o controle da usina de Chernobyl, anuncia governo da Ucrânia

Antes da ação, o presidente Volodymyr Zelenskiy disse que forças ucranianas estavam lutando de todas as forças possíveis para impedir que tropas russas capturassem a antiga usina nuclear
15:01 | Fev. 24, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

A Ucrânia anunciou nesta quinta-feira (24) que as forças russas tomaram a usina nuclear de Chernobyl após uma batalha "feroz" no primeiro dia da ofensiva russa contra o país vizinho, que fez parte da extinta União Soviética.

"Depois deste ataque absolutamente insensato dos russos, não é possível dizer que a usina nuclear está a salvo. Essa é uma das maiores ameaças para a Europa atualmente", disse o conselheiro-chefe do gabinete do presidente, Mijailo Podoliak, depois que o governo anunciou que havia combates próximos ao depósito de resíduos nucleares da usina acidentada em 1986.

Antes da ação, o presidente Volodymyr Zelenskiy disse que forças ucranianas estavam lutando de todas as forças possíveis para impedir que tropas russas capturassem a antiga usina nuclear.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

LEIA MAIS: Entenda por que a Rússia decidiu invadir a Ucrânia

“As forças de ocupação russas estão tentando tomar Chernobyl (Central Nuclear). Nossos defensores estão sacrificando suas vidas para que a tragédia de 1986 não se repita”, tuitou Zelensky. “Esta é uma declaração de guerra contra toda a Europa”, acrescentou.

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, por sua vez, ecoou o alerta do presidente, tuitando que um ataque russo à Ucrânia poderia “causar outro desastre ecológico”.

“Em 1986, o mundo viu o maior desastre tecnológico em Chernobyl”, tuitou o ministério. “Se a Rússia continuar a guerra, Chernobyl pode acontecer novamente em 2022.”

Em outros lugares, partes da região de Kherson, no sul da Ucrânia, não estavam mais sob o controle de Kiev, disse a administração regional, enquanto as forças russas atacavam por terra, mar e ar.

O prefeito da capital, Kiev, relatou que quatro estações de metrô serão usadas como abrigos antiaéreos.

Já a liderança ucraniana local na região separatista de Donetsk disse que as forças russas atingiram um hospital local, matando quatro pessoas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags