Participamos do

Comitê israelense apoia construção de 3.500 casas para colonos em Jerusalém Oriental

00:36 | Jan. 06, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O governo israelense recomendou na quarta-feira (5) a construção de cerca de 3.500 novas casas para colonos em Jerusalém Oriental, um projeto repetidamente denunciado pelas Nações Unidas, palestinos e grupos de direitos humanos.

O comitê local de planejamento urbano e habitação da cidade de Jerusalém, composto por funcionários municipais eleitos, apoiou o projeto, disseram ONGs e autoridades locais.

Um total de 2.092 casas estão projetadas para serem construídas perto do Monte Scopus e 1.465 entre os bairros de Givat Hamatos e Har Homá, indicaram.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Essas áreas estão situadas na "linha verde" que teoricamente separa o leste de Jerusalém anexada por Israel, que os palestinos veem como a capital de seu futuro Estado.

Apenas um número limitado de casas planejadas está localizado na parte oeste da cidade, reconhecida internacionalmente como israelense.

Israel assumiu o controle de Jerusalém Oriental em 1967 e a anexou em um movimento que não foi reconhecido pela maioria da comunidade internacional. Mesmo assim, o Estado hebraico considera toda Jerusalém como sua capital indivisível.

O endosso do comitê local coloca o projeto agora nas mãos do comitê de planejamento regional de Jerusalém, que tem autoridade para aprová-los.

"Esses planos aumentam a tensão local e refletem a discriminação flagrante que o governo está construindo em Jerusalém Oriental apenas para os israelenses, enquanto centenas de milhares de palestinos na cidade dificilmente podem construir alguma coisa", criticou o grupo anti-assentamentos Peace Now.

ONGs expressam temor de que esses novos desenvolvimentos bloqueiem as ligações entre os distritos palestinos de Jerusalém Oriental e a vizinha cidade palestina de Belém.

Cerca de 200.000 israelenses vivem em Jerusalém Oriental ao lado de 300.000 palestinos. Excluindo estes, outros 475.000 israelenses vivem em assentamentos na Cisjordânia ocupada, considerados ilegais pelo direito internacional.

gl/mib/awa/dwo/pjm/am

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags