Participamos do

Bayern de Munique pune jogadores não vacinados

00:04 | Nov. 24, 2021
Autor DW
Tipo Notícia

Joshua Kimmich se viu no centro de um escândalo ao afirmar que não havia se vacinado contra a covid-19Em quarentena obrigatória e desfalcando equipe na Liga dos Campeões, Joshua Kimmich, Serge Gnabry e outros têm salário cortado. Quarta onda da covid-19 na Alemanha provoca cancelamentos de jogos e proibições de público.O Bayern de Munique resolveu punir cinco jogadores que ainda não tomaram a vacina contra a covid-19 e tiveram de entrar em quarentena obrigatória por terem estado em contato com pessoas infectadas pelo coronavírus. Os atletas Joshua Kimmich, Serge Gnabry, Jamal Musiala, Eric Maxim Choupo-Moting e Michael Cuisance viraram desfalques para a equipe às vésperas de uma partida pela Liga dos Campeões da Europa. Todos eles não estão vacinados contra a covid-19 e não deverão receber salário durante o período de quarentena, que é obrigatória no estado alemão da Baviera para toda pessoa que teve contato com um infectado pelo novo coronoavírus. Tanto a quarentena obrigatória como o corte de salário de funcionários que faltarem ao trabalho por causa de uma infecção com covid-19 estão previstos pela legislação da Baviera. O clube afirmou ainda que a permanência deles no grupo poderia colocar em risco a saúde dos demais jogadores. Além dos cinco atletas, os defensores Niklas Süle e Josip Stanisic contraíram o coronavírus. Ambos, porém, estão vacinados. O próprio técnico do Bayern, Julian Nagelsmann, já perdeu quatro jogos da equipe após contrair o coronavírus, mesmo estando imunizado. O caso Kimmich Em outubro, Kimmich, uma das grandes estrelas do Bayern, se viu no centro de um escândalo após revelar em entrevista que não tinha se vacinado. Ele disse que se preocupava com a falta de um estudo sobre os "efeitos de longo prazo" dos imunizantes e que ainda estava considerando o caso. Após a repercussão negativa de sua fala, Kimmich negou ser contra a vacinação. "Acho lamentável nesse debate que seja apenas sobre se você é vacinado ou não é vacinado, e caso não seja, é automaticamente um negacionista da covid ou opositor da vacina." "Mas, há outros, em suas casas, que, acho eu, estão simplesmente pensando a respeito, qualquer que seja o motivo. Acho que eles devem ser respeitados, especialmente se obedecem as diretrizes." Ele acrescentou que é testado regularmente, e que os testes são pagos pelo Bayern. No final de semana, sem Kimmich em campo, o Bayern de Munique perdeu por 2 a 1 para o modesto FC Augsburg, e tem ameaçada sua liderança na tabela do campeonato alemão. Há temores que de que os não vacinados do Bayern tenham também de ficar de fora de uma partida importante contra o Borussia Dortmund, no dia 4 de dezembro. A equipe bávara está apenas um ponto à frente do Dortmund, seu maior concorrente na Bundesliga, que tem toda a sua equipe vacinada ou recuperada da doença. O Dortmund divulgou o status de vacinação de seus jogadores, após o atleta Thorgan Hazard apresentar resultado positivo em um teste. Nenhum dos outros membros da equipe foi afetado. O Wolfsburg informou que o goleiro e capitão da equipe, Koen Casteels, também vacinado, contraiu o coronavírus e ficará fora do jogo contra o Sevilha pela Liga dos Campeões. Todos os demais jogadores testaram negativo para a doença. Limite ou ausência de público No caso do Bayern, além de perder jogadores para as próximas partidas, o clube também terá menos torcedores em seu estádio. As autoridades da Baviera reduziram a lotação no Allianz Arena para 25% de sua capacidade para todos os eventos esportivos, para tentar evitar transmissões de coronavírus durante os jogos. As equipes RB Leipzig, da 1ª Divisão, e Dynamo Dresden e Erzgebirge Aue, da 2ª, jogarão suas partidas em casa com os estádios vazios. O campeonato mundial de saltos em esqui, entre 9 e 12 de dezembro na cidade de Klingenthal, também ocorrerá sem a presença de público. rc/as (DPA, AP)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente