Participamos do

Empresa Facebook se chamará Meta; Intuito de Zuckerberg é associar empresa ao Metaverso

O intuito de Zuckerberg com a mudança é associar a empresa a uma realidade digital, mas com elementos de redes sociais, realidade aumentada, jogos online e criptomoedas que permitem aos usuários agir e interagir virtualmente.
10:01 | Out. 29, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O programador e empresário Mark Zuckerberg anunciou na última quinta-feira, 28, durante o evento Facebook Connect, uma mudança de nome do Facebook, que agora passará se chamar Meta. A rede social deve seguir com o mesmo nome, mas será gerenciada pela nova marca junto ao Instagram e WhatsApp. O Facebook quer um dia ser visto como uma empresa de metaverso, um mundo paralelo baseado na realidade virtual que pode ser o futuro da internet.

LEIA MAIS | O que é o metaverso? 

Roblox e Fortnite: entenda o metaverso e as novas possibilidades dos games

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“Somos uma empresa que desenvolve tecnologia para conectar. Juntos, podemos finalmente colocar as pessoas no centro de nossa tecnologia. E junto, podemos desbloquear uma economia de criadores muito maior. Para refletir quem somos e o que esperamos construir”, afirmou Zuckerberg durante o evento.

O intuito de Zuckerberg com a mudança é associar a empresa a uma realidade digital, relacionada à World Wide Web, mas com elementos de redes sociais, realidade aumentada, jogos online e criptomoedas que permitem aos usuários agir e interagir virtualmente. 

A postura da empresa ocorreu por causa da crise do Facebook Papers, série de documentos internos vazados que expuseram a fragilidade do Facebook, Instagram e WhatsApp em guardar dados dos usuários. O material divulgado por ex-funcionários revelou que o Facebook sabia que radicalizava seus usuários e que o Instagram é nocivo para adolescentes. Entre outras acusações, também está o uso de algoritmo que facilitava a disseminação de informações falsas.

*Com informações do G1

Tenha acesso a reportagens especiais. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags