PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Sobe para 16 o número de mortos pelas fortes chuvas que atingem a China central

10:34 | 21/07/2021

Subiu para ao menos 16 o número de mortos pelas fortes que causaram enchentes no centro da China, incluindo algumas que ficaram presas no metrô em Zhengzhou, capital da província de Henan, informou a mídia estatal nesta quarta-feira, 21. Cerca de 200 mil pessoas precisaram abandonar suas casas.

A chuva torrencial, que começou no domingo (18) e continuou até a quarta-feira, foi a mais forte já registrada em Zhengzhou, informou a rede de televisão estatal da China, CCTV. A certa altura, quase 20 centímetros de chuva caíram em uma hora na cidade de 10 milhões de habitantes, localizada 700 km ao sul de Pequim. O presidente chinês, Xi Jinping, classificou as chuvas como "extremamente graves".

Um vídeo postado pela The Paper, uma organização de notícias estatal, mostrou pessoas presas em um vagão do metrô com água até o peito. Pela janela, era possível ver a água continuando a passar. Outras fotos mostraram vários corpos sem vida em uma plataforma de metrô. Não ficou claro quantas pessoas ficaram presas no metrô da cidade, que tem sete linhas e 148 estações.

A chuva inundou estradas e ferrovias e interrompeu as operações no aeroporto, informou a CCTV. Foi relatado que pelo menos um hospital, o Primeiro Hospital Afiliado da Universidade de Zhengzhou, foi inundado com água da enchente.

O Exército foi chamado para reforçar os esforços de alívio na capital da populosa província de Henan, que recebeu um ano de chuva em três dias. A cidade "registrou uma série de tempestades raras e violentas, causando uma acumulação de água no metrô de Zhengzhou", explicaram as autoridades da cidade em uma mensagem na rede social Weibo.

Vídeos que circularam online mostraram automóveis sendo arrastados por águas turvas e turbulentas. Em um deles, uma mulher grita que um homem e uma mulher foram arrastados pela corrente.

Na terça-feira, as autoridades colocaram Zhengzhou em alerta vermelho, o mais alto nível de risco climático na China. De acordo com as autoridades locais, mais de 36.000 habitantes da cidade foram afetados pelo desastre. Os serviços de emergência emitiram um alerta de nível 2 em todo o país para inundações. O número de vítimas ainda deve aumentar.

O presidente Xi Jinping convocou uma mobilização diante do clima inclemente. "As barragens caíram, causando ferimentos graves, mortes e danos. A situação das inundações é extremamente grave", disse ele, de acordo com a televisão nacional.

As inundações são rotineiras na China, mas parecem ter se agravado, fato que especialistas atribuem às mudanças climáticas. A China enfrentou semanas de severas inundações no verão passado ao longo do rio Yangtze. Centenas de pessoas morreram e milhões ficaram desabrigadas.

Barragem em risco

Os olhares também estão sobre a brecha de 20 metros na parede da represa Yihetan em Luoyang, uma cidade de 7 milhões de pessoas, na região de Henan, que "pode quebrar a qualquer momento", advertiram os militares - que planejaram realizar uma operação de emergência envolvendo dinamitação e desvio de águas de inundação para evitar uma catástrofe.

As chuvas sazonais causam inundações na China a cada ano. Mas a ameaça cresceu nos últimos anos, devido à construção de barragens ou desvios de rios que muitas vezes cortaram as conexões existentes entre rios e lagos adjacentes. No ano passado, enchentes sem precedentes no sudoeste do país danificaram estradas e causaram a evacuação de dezenas de milhares de moradores. (Com agências internacionais).