PUBLICIDADE
Mundo
Noticia

Garoto de 8 anos assina contrato de US$ 33 mil e se torna jogador profissional de Fortnite

A contratação aconteceu em dezembro de 2020 pela equipe da Califórnia: "Pensava muito em ser um jogador profissional, mas ninguém me levava a sério"

12:57 | 02/03/2021
FORTNITE é o mais famoso battle royale da atualidade e opera em várias plataformas (Foto: Divulgação)
FORTNITE é o mais famoso battle royale da atualidade e opera em várias plataformas (Foto: Divulgação)

O americano Joseph Deen, 8 anos, foi contratado para ser jogador profissional do jogo eletrônico Fortnite. Em dezembro do ano passado, o garoto foi convidado a fazer parte da equipe profissional Team 33, sediada na Califórnia, Estados Unidos.

De acordo com as informações do portal da BBC News, ele recebeu o valor de US$ 33 mil (aproximadamente R$ 185 mil) e um computador de alta velocidade. Joseph Deen é o segundo jogador profissional mais jovem que se tem notícia. O jogo eletrônico é disputado por centenas de milhões de pessoas em todo o mundo e mistura atividades envolvendo tiros, caça e construção de fortificações.

O garoto joga Fortnite desde os quatro anos e foi descoberto pela equipe de videogames há 18 meses. Ele conta a felicidade ao receber a notícia do contrato. "Eu me senti incrível quando me ofereceram o contrato. Pensava muito em ser um jogador profissional, mas ninguém me levou a sério até o Team 33 aparecer", comenta a criança em entrevista à BBC.

De acordo com o portal Esports Earnings, apenas dois dos 10 jogadores de Fortnite mais bem pagos do mundo têm mais de 18 anos. Segundo o portal, os dados são divulgados baseados em informações públicas disponíveis gratuitamente.

Faixa etária

 

Para os principais órgãos de certificação de idade do mundo, Joseph é muito jovem para jogar Fortnite. O jogo foi lançado pela primeira vez em 2017 e é classificado como PEGI 12, ou nível "adolescente", segundo as normas Entertainment Software Rating Board - ESRB (Quadro de classificação de software de entretenimento em tradução livre), que apontam para a violência "leve" e "frequente" do jogo.

A ESRB é a organização responsável pelas classificações etárias indicativas de jogos eletrônicos comercializados na América do Norte. A mãe do garoto, Gigi, diz a BBC não ver problema com a rotina de jogos de Joseph. "Eu vi o jogo e não acho que estejamos fazendo nada de errado. Ele é uma criança equilibrada e vem de uma boa família — não é afetado por isso (pelo jogo)", diz a mãe. Ela permite ao garoto jogar Fortnite por duas a três horas diárias depois da escola. Nos fins de semana o tempo pode ser aumentado.

* Informações são do Portal BBC News