PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Zeptosegundo: conheça a menor medida de tempo já calculada pelo ser humano

A medida pode ser aplicada na computação quântica e em experimentos de supercondutividade

Catalina Leite
14:39 | 23/10/2020
Ilustração do experimento que permitiu cientistas alemães a calcularem o tempo que uma partícula de luz leva para atravessar uma molécula de hidrogênio: 247 zeptosegundos (Foto: SVEN GRUNDMANN/GOETHE UNIVERSITY FRANKFURT)
Ilustração do experimento que permitiu cientistas alemães a calcularem o tempo que uma partícula de luz leva para atravessar uma molécula de hidrogênio: 247 zeptosegundos (Foto: SVEN GRUNDMANN/GOETHE UNIVERSITY FRANKFURT)

Você provavelmente nunca ouviu a palavra "zepto", mas "segundo” com certeza já. Da união dessas palavras surge a menor medida de tempo já calculada, o zeptosegundo. Essa medida tem 20 zeros depois da vírgula seguidos do número um: 0,000 000 000 000 000 000 001 segundos.

O termo representado pela letra z foi adotado em 1991 e serve para medir fenômenos que “envolvem a passagem ou interação da luz com a matéria”, explica o professor Cláudio Lucas Nunes de Oliveira, do Departamento de Física da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Mas foi somente em 2020 que um processo físico do tipo foi medido nessa escala de tempo. No dia 16 de outubro, um grupo de cientistas alemães publicou na revista Science a conclusão de que a luz demora 247 zeptosegundos para cruzar uma molécula de hidrogênio.

É, até o momento, o intervalo de tempo mais curto já calculado. Claro que medir isso não foi tão simples: a equipe do físico Reinhard Dörner, da Universidade Goethe em Frankfurt, precisou utilizar um acelerador de partículas localizado em Hamburgo - o Petra III.

LEIA TAMBÉM | Como funciona o acelerador de partículas

| Pesquisadores estudam proteínas do Sars-CoV2 no laboratório Sirius

O titular do Departamento de Física da UFC, Raimundo Nogueira, descreve o experimento dos cientistas: “Imagine a luz como sendo um feixe de partículas chamadas fótons. Então os pesquisadores conseguiram bombardear uma molécula de hidrogênio, que tem dois elétrons, com um fóton. Esse fóton então atingiu um elétron, atravessou a molécula e atingiu o outro elétron. Em cada colisão os elétrons foram arrancados da molécula e geraram um padrão de interferência que foi medido”, detalha.

De acordo com ele, algumas possíveis aplicações práticas do zeptosegundo envolvem a computação quântica e experimentos de supercondutividade. O professor também participa do programa Falando Ciência, da Rádio Universitária FM. No primeiro episódio, a conversa foi sobre viagem no tempo. Confira:

No entanto, o zeptosegundo não é o menor intervalo de tempo existente no universo. Ele é apenas o menor que o ser humano consegue mensurar. “Existem fenômenos físicos com intervalos de tempo ainda menores, mas nem sempre eles são mensuráveis. Às vezes por incapacidade tecnológica, às vezes porque são processos que ocorrem uma única vez”, afirma o professor Cláudio.

Coincidência

 

Zeptosegundo também é o nome de uma banda de rock da Costa Rica. O álbum de estreia do grupo traz referência visuais científicas, como o sextante e um satélite artificial, da mesma maneira que alguns títulos das faixas musicais. Ouça: