PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Estados Unidos não recomendam viagens ao Brasil para americanos, por Covid-19 e "aumento de criminalidade"

Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos (EUA) emitiram um aviso de saúde de nível 3 em viagens para o Brasil, afirmando que os turistas poderiam experimentar "fechamento de fronteiras, aeroportos, proibição de viagens, pedidos para ficar em casa, fechamento de negócios e outros pedidos devidos à pandemia"

19:28 | 11/08/2020
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e bandeiras do país (Foto: Mandel Ngan / AFP)
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e bandeiras do país (Foto: Mandel Ngan / AFP)

Em comunicado emitido na última quinta-feira, 6, o departamento de viagens dos Estados Unidos recomendou a norte-americanos que não façam viagens ao Brasil, em decorrência da pandemia de coronavírus e de um “aumento de criminalidade”. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos (EUA) emitiram aviso de saúde nível 3 sobre viagens para o Brasil, afirmando que os turistas poderiam experimentar “fechamento de fronteiras, aeroportos, proibição de viagens, pedidos para ficar em casa, fechamento de negócios e outros pedidos devidos à pandemia”.  As informações podem ser verificadas no site oficial do Departamento de Estado dos EUA

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, em Baltimore (EUA), os Estados Unidos é o país com o maior número de casos de Covid-19 no mundo, com mais de 5 milhões de pessoas infectadas. O Brasil ultrapassou a marca de 3 milhões de infectados.

Os níveis de classificação em relação a viagens nos EUA vão de 1 a 4, e o Brasil está classificado no 4, que significa “não viaje”. A recomendação foi principalmente para cidades-satélites do Distrito Federal, fronteiras e favelas do Brasil. De acordo com eles, turistas norte-americanos não devem passear por essas regiões mesmo em visitas guiadas. Eles afirmam que os turistas estão sujeitos a “crimes violentos, como assassinato, roubo à mão armada e roubo de carros.”

O comunicado também indica que funcionários do governo dos Estados Unidos não devem frequentar ônibus públicos municipais devido a “elevado risco de roubo e agressão, principalmente durante a noite”. Entre as cidades-satélites do Distrito Federal, estão  Ceilândia, Santa Maria, São Sebastião e Paraná, que não devem ser frequentadas entre 18h e 6h “devido ao crime”.

O nível 4 também se aplica às fronteiras brasileiras com a Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia, Guiana, Suriname, Guiana Francesa e Paraguai. O Departamento de Estado americano disponibilizou um mapa com sua classificação.