PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Pesquisador faz estimativa de quantas pessoas seriam necessárias para colonizar Marte

Seria necessário viver debaixo de uma redoma, cultivando vegetais em estufas e usando depósitos de gelo para obter água

19:54 | 30/07/2020
  (Foto: Reprodução/Nasa)
(Foto: Reprodução/Nasa)

A National Aeronautics and Space Administration (Nasa) lançou nesta quinta-feira, 30, o robô Perseverance e o helicóptero Ingenuity ao espaço, em direção a Marte. Ambos fazem parte missão Mars 2020, que tem como objetivo descobrir se há vida no Planeta Vermelho. A ideia é que no futuro se consiga enviar humanos para lá.

LEIA MAIS | A busca por vida ancestral em Marte; confira reportagem especial no O POVO MAIS

Uma análise do professor Jean-Marc Salotti garante que seria possível colonizar Marte com 110 pessoas. O estudo foi publicado na revista Nature, em um artigo chamado "Minimum Number of Settlers for Survival on Another Planet" (Número mínimo de colonizadores para sobrevivência em outro planeta, em tradução livre), segundo informações do site CanalTech

LEIA MAIS | Perseverance: Nasa lançará robô caçador de micróbios para Marte

Para obter o resultado, foi usado um modelo matemático capaz de dizer qual o estilo de vida deveria ser adotado em Marte, considerando a capacidade de sobrevivência em caso de serem interrompidos os envios de cargas da Terra, seja devido à alguma pane ou por redução de custos em operações espaciais. Foi considerado ainda a produção de metais, cerâmicas, roupas e outros itens no próprio Planeta Vermelho.

LEIA MAIS | Nasa lança o rover Perseverance com destino a Marte; assista lançamento

Dessa forma, seria preciso que os 110 colonos reduzissem o uso de objetos complexos, ou seja, sem viabilidade de serem construídos no planeta ou impressos em 3D. Além disso, seria necessário viver debaixo de uma redoma, cultivando vegetais em estufas e usando depósitos de gelo para obter água. Para manter a colônia funcionando seria necessário o compartilhamento de água, comida, ferramentas, trajes, veículos e demais itens de sobrevivência.

Ainda assim, mesmo com poucas pessoas, a comunidade estaria exposta ao risco de colapso. Problemas como brigas entre os moradores, infertilidade, acidentes e falta de recursos trariam complicações. “Isso seria especialmente verdadeiro no início da colônia, onde qualquer acidente poderia reduzir dramaticamente a capacidade de produção”, explicou Salotti. 

Entretanto, após alguns séculos seria possível estabelecer uma sociedade. “Se esse número relativamente baixo se confirmar, a sobrevivência em outro planeta pode ser mais simples do que esperávamos”, conclui.