PUBLICIDADE
Mundo
Noticia

Kim Kardashian pede "compaixão" pelo marido Kanye West, que tem demonstrado comportamento errático

O rapper, que tem diagnóstico de transtorno bipolar, lançou recentemente campanha presidencial e apresentou discurso desconexo, citando liberação de armas e até que quis abortar a filha, hoje com 7 anos

19:25 | 22/07/2020
O rapper Kanye West lançou recentemente candidatura a presidente dos EUA e tem apresentado comportamento errático (Foto: Jean-Baptiste Lacroix / AFP)
O rapper Kanye West lançou recentemente candidatura a presidente dos EUA e tem apresentado comportamento errático (Foto: Jean-Baptiste Lacroix / AFP)

Kim Kardashian West comentou nesta quarta-feira, 22, sobre o estado mental do marido, o rapper Kanye West, pedindo à mídia e ao público para que demonstrem "compaixão e empatia" diante do comportamento errático recente do músico, que tem transtorno bipolar.

No último domingo, West lançou sua campanha presidencial com um discurso desconexo, fazendo comentários bizarros sobre a abolicionista Harriet Tubman, revelou que quis abortar sua filha que agora tem sete anos e, por fim, chorou.

No dia seguinte, segunda-feira, ele postou uma série de mensagens estranhas em sua conta no Twitter, afirmando, entre outras coisas, que sua esposa queria interná-lo em uma clínica psiquiátrica. Depois de um tempo, as mensagens foram apagadas.

Na terça-feira, ele fez um novo post, que também foi excluído mais tarde, alegando que queria o divórcio e acusando Kim Kardashian de ter um caso com outro rapper, Meek Mill, que negou.

"Aqueles que entendem sobre as doenças mentais ou mesmo sobre o comportamento (maníaco) compulsivo sabem que a família não tem poder (sobre a situação), a menos que o membro seja menor de idade", escreveu Kardashian West em seu post.

"As pessoas que desconhecem ou estão distantes dessa experiência podem julgar e não entender que o próprio indivíduo precisa se engajar no processo de obter ajuda, por mais que a família e os amigos tentem ajudá-lo".

Um dispositivo na lei da Califórnia conhecida como seção 5150 permite que um membro da família solicite que um paciente seja internado sem consentimento, para que seja submetido a uma avaliação psiquiátrica, podendo durar até 72 horas. O procedimento requer o endosso e a intervenção de um profissional de saúde, que pode decidir, ao final da avaliação, prolongar a hospitalização.

Em uma de suas mensagens excluídas, Kanye West acusou sua esposa de querer o 5150. "Quem conhece Kanye sabe que suas palavras nem sempre estão alinhadas com suas intenções", disse a esposa.

A empresária observou que a sociedade "exige tolerância para todo o problema de saúde mental, mas também devemos ter tolerância em relação àqueles que convivem com (distúrbios psicológicos) quando mais precisam".

"Peço gentilmente que o público e a mídia no dê a compaixão e a empatia que precisamos para superar tudo isso", disse finalmente a estrela do reality show Keeping Up With the Kardashians.

Não é a primeira vez que Kim Kardashian West fala sobre o transtorno bipolar do marido. Em uma entrevista à revista Vogue em 2019, ela explicou que o marido não estava fazendo nenhum tratamento porque achava que isso prejudicaria sua energia criativa.