PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Chefe de gabinete do Japão diz que país planeja sediar Olimpíada

O primeiro-ministro Shinzo Abe disse aos líderes do G7 que o Japão realizará a Olimpíada e a Paralimpíada de maneira integral

07:57 | 17/03/2020
Mascotes da Olimpíadas Tóquio 2020
Mascotes da Olimpíadas Tóquio 2020 (Foto: Reprodução/Twitter)

O secretário-chefe do gabinete japonês, Yoshihide Suga, afirmou que seu país dará continuidade aos preparativos para sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, conforme programado para este verão. Nesta terça-feira de manhã, Suga conversou com repórteres após os líderes do Grupo dos Sete terem realizado uma videoconferência em caráter extraordinário para coordenar sua resposta à epidemia do novo coronavírus.

Um dos dois vice-presidentes do Comitê Olímpico Japonês, Kozo Tashima, anunciou, entretanto, nesta terça-feira que apresentou resultado positivo para o novo coronavírus, em um contexto de dúvidas crescentes sobre a celebração dos Jogos Olímpicos de Tóquio em julho e agosto devido à pandemia."Hoje meu resultado para o teste do novo coronavírus deu positivo", afirma Tashima em um comunicado divulgado pela Associação Japonesa de Futebol, que ele presidente.

Já primeiro-ministro Shinzo Abe, por sua vez, disse aos líderes do G7 que o Japão realizará a Olimpíada e a Paralimpíada de maneira integral. Segundo Yoshihide Suga, nenhum dos líderes globais afirmou que os jogos deveriam ser adiados.

Ele disse que o governo vai fazer os preparativos firmemente para sediar os eventos conforme planejado, ao mesmo tempo em que trabalha em conjunto com o Comitê Olímpico Internacional (COI), o comitê organizador dos jogos e o governo metropolitano de Tóquio.

Suga acrescentou que o comitê organizador da Olimpíada de Tóquio informou ao governo que o revezamento da tocha olímpica no Japão terá início em 26 de março, na província de Fukushima, conforme programado.

Escolas

O ministro da Educação do Japão, Koichi Hagiuda, informou que o governo deverá anunciar orientações para a reabertura de escolas até o fim de março. Em entrevista nesta terça-feira (17), ele falou sobre os parâmetros que os municípios em todo o país poderão consultar para decidir sobre o momento do reinício das aulas.

Hagiuda afirmou que as condições para a reabertura das escolas em um município devem depender de fatores como a existência de infecções dentro do próprio município, bem como em seus arredores. Segundo ele, o governo vai determinar cuidadosamente se revoga completamente ou não o pedido de fechamento das escolas.

Hagiuda também destacou que o governo vai levar em consideração os resultados das análises, a serem divulgadas por um painel de especialistas na próxima quinta-feira (19).

Acrescentou que autoridades ministeriais vão observar escolas que já reabriram para verificar os passos que devem ser dados na prevenção de infecções. Essas medidas também deverão ser anunciadas.

 *Emissora pública de televisão do Japão

Com agências