PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Multidão no Irã incendeia hospital que atende a pacientes com coronavírus

Segundo a agência iraniana Fars News Agency, a violência foi causada por um rumor de que o governo havia transferido dez pacientes de covid-19 da cidade de Qom, o epicentro da epidemia no país, para Bandar Abbas, cidade onde fica o hospital incendiado

10:54 | 01/03/2020
O Irã, a Coreia do Sul e a Itália são os três países onde a epidemia de covid-19 se alastra mais rapidamente
O Irã, a Coreia do Sul e a Itália são os três países onde a epidemia de covid-19 se alastra mais rapidamente (Foto: Reprodução/Twitter)

Uma multidão de iranianos ateou fogo em um hospital na cidade de Bandar Abbas, uma das maiores do sul do país, por causa do medo do novo coronavírus. As informações são do site UOL. Ainda não foi divulgado número de vítimas.

Segundo a agência iraniana Fars News Agency, a violência foi causada por um rumor de que o governo havia transferido dez pacientes de covid-19 da cidade de Qom, o epicentro da epidemia no país, para Bandar Abbas, que fica a 1.140 km ao sul, onde há situação sanitária menos preocupante.

No início, os manifestantes se reuniram em torno do hospital e entoaram frases de críticas ao governo. Em seguida, os ânimos se acirraram e a multidão pôs fogo no hospital Towhid Clinic, apelidado de Corona Hospital.

A diretora da unidade negou as acusações e disse que o hospital tem um setor isolado para os pacientes dessa doença.

Coronavírus no Irã


O Irã é um dos países mais atingidos pela epidemia de coronavírus — e também o mais pobre entre esses. Somente na última sexta-feira, 28, houve nove mortes, e o número de novos casos cresceu 53%, levando o total a 593 doentes e 43 mortos. O índice de letalidade local é de 7,3% - duas vezes e meia o índice mundial.

No dia 19, o serviço da BBC em Persa noticiou que 210 pessoas haviam morrido da doença, apenas em Qom e Teerã. Apesar da negativa do governo, o pânico se espalhou.

O Irã, a Coreia do Sul e a Itália são os três países onde a epidemia de covid-19 se alastra mais rapidamente. A China, onde ela começou, em dezembro, já registra queda no número de novos casos e de mortes há mais de uma semana, embora ainda seja de longe o maior foco da epidemia.

A Coreia já é o país que registra o maior número de casos novos (813; na China são 433), mas a China ainda lidera em novas mortes (47, contra 9 na Coreia).