PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Saiba quais são as notícias falsas sobre o coronavírus

De orientações para lavar a boca para impedir a contaminação à imagem falsa de um hospital erguido m 16 horas, a internet tem disseminado informações falsas sobre a epidemia

13:59 | 29/01/2020

À medida que a epidemia do novo coronavírus ultrapassou, nesta quarta-feira, os 130 mortos na China, onde há mais de 5.900 casos de contaminação confirmados, informações falsas se propagam rapidamente nas redes sociais. Abaixo, alguns exemplos analisados pela equipe de checagem da AFP em todo o mundo:

Publicações compartilhadas (A) no Facebook afirmam que o coronavírus detectado na China foi criado propositalmente por autoridades dos Estados Unidos. Para fundamentar essa alegação, as postagens mencionam uma patente registrada antes do início da epidemia, mas o documento se refere a outro tipo de coronavírus, patenteado após seu surgimento para a elaboração de vacinas, por exemplo (B).

A: https://perma.cc/5Y2Y-VDMQ

B: http://u.afp.com/PatenteCoronavirus

Um vídeo (A), visualizado mais de 700 mil vezes no Facebook em alguns dias, mostra, segundo o autor de uma das publicações "o Mercado de Wuhan, na China, onde surgiu o coronavírus". A alegação é falsa. As imagens mostram, na verdade, um mercado localizado na ilha de Celebes, na Indonésia (B).

A: https://perma.cc/BG2P-HRZG

B: http://u.afp.com/CoronavirusMercado

Diversas publicações no Twitter, Facebook (A) e na rede social chinesa Weibo, compartilhadas desde 20 de janeiro, garantem que um especialista chinês em medicina respiratória recomenda que as pessoas lavem a boca com uma solução de sal e água para impedir que sejam contaminadas pelo novo vírus.

Contudo, tanto a equipe do especialista, quanto a OMS desmentem essa afirmação. "O coronavírus contamina o sistema respiratório, que não pode ser higienizado lavando a boca", explicou o hospital onde trabalha a equipe médica do cientista Zhong Nanshan, a quem é atribuída a recomendação (B).

A: https://perma.cc/M893-58WA

B: Em inglês, http://u.afp.com/CoronavirusAdvice

A imagem de um prédio (A) foi compartilhada centenas de vezes no Twitter e no Facebook como se mostrasse um hospital construído em apenas 16 horas em Wuhan, na China, para lidar com a epidemia do vírus 2019-nCoV. A foto circula, no entanto, há ao menos um ano. A AFP visitou a obra do novo hospital que está sendo erguido em Wuhan em 27 de janeiro e concluiu que a construção ainda está nos estágios iniciais (B).

A: https://perma.cc/4Z2B-PCAN

B: Em inglês, http://u.afp.com/wuhanhospital

Postagens compartilhadas centenas de vezes (A) afirmam mostrar a maneira correta de utilizar máscaras faciais para se proteger do coronavírus. Segundo as publicações, a máscara deve ser colocada de modos diferentes por pessoas que já estão doentes, e por aqueles que querem se prevenir.

Especialistas consultados pela AFP desmentiram essa alegação: "só há um jeito de utilizar a máscara cirúrgica descartável corretamente", afirmou porta-voz da agência de Saúde do Sri Lanka (B).

A: https://perma.cc/KJ9V-3DDL

B: Em inglês, http://u.afp.com/FaceMasks

Uma publicação (A) compartilhada milhares de vezes em quatro dias por usuários do Facebook no Sri Lanka garante que médicos temem que todos os habitantes de Wuhan - onde foi detectado o novo coronavírus - que estão em quarentena, irão morrer.

Isso é falso: as autoridades não expressaram tal perspectiva. Além disso, a agência de saúde pública dos Estados Unidos, Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), indicou que, mesmo que não seja desenvolvida uma vacina para este novo tipo de coronavírus, a maior parte das pessoas contaminadas irá se recuperar sozinha da doença (B).

A: https://perma.cc/88K6-NFY8

B: Em inglês, http://u.afp.com/CoronavirusDead

mcp/