PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Alemanha bate recorde de calor para mês de junho

00:03 | 27/06/2019
Máxima anterior fora registrada em 1947. Cientistas atribuem onda quente que atravessa a Europa à mudança climática por influência humana. Em Brandemburgo, homem se refresca pilotando sua motocicleta só de capacete.Na cidade de Coschen, perto da fronteira com a Polônia, as temperaturas alcançaram 38,6 ºC nesta quarta-feira (26/06), estabelecendo um novo recorde alemão de calor para junho. A máxima anterior para o mês, registrada em 1947, em Bühlertal, no estado de Baden-Württemberg, ficava 0,1 ºC abaixo. Na terça-feira, a meteorologista Sabine Krüger, do Serviço Alemão de Meteorologia (DWD), alertara que as temperaturas poderiam "chegar aos 39 ºC e, em alguns locais, quebrar a marca dos 40 ºC". Os picos de calor se fizeram sentir fortemente também na área dos rios Reno e Meno, no oeste e centro da Alemanha. Os dias mais quentes da história do país foram 5 de julho e 7 de agosto de 2015, ambos com 40,3 ºC em Kitzingen, na Baviera. Especialistas acham possível que a marca seja ultrapassada neste ano. As autoridades alemãs aconselharam a população a tomar medidas para evitar hipertermia, pois o calor acima de 37 ºC pode causar exaustão e até falha cardíaca. O risco é particularmente alto para idosos, bebês e enfermos. As piscinas públicas registraram frequência elevada. Limites temporários de velocidade foram impostos em diversas autoestradas, devido à possibilidade de que o calor faça o asfalto se deformar ou romper. Brigadas de bombeiros estão de prontidão para combater eventuais incêndios. A polícia do estado de Brandemburgo divulgou no Twitter imagens de um homem que pilotava sua motocicleta completamente nu (excetuado o capacete e sandálias). Ao ser detido, argumentou: "É que está quente, né?" Declarando-se "sem palavras", as autoridades convidaram os usuários a encontrar uma legenda adequada para a foto. A onda quente atravessa toda a Europa Central, com a Bélgica e a França também apresentando temperaturas elevadas nos últimos dias. Para cientistas como Stefan Rahmstorf, do Instituto de Pesquisa Climática de Potsdam, a onda térmica é mais um indício de que o clima do planeta está mudando. "Recordes mensais de calor por todo o globo ocorrem cinco vezes mais frequentemente hoje do que ocorreriam num clima estável", declarou o especialista. "Esse incremento de extremos de calor é exatamente o que previu a climatologia, em consequência do aquecimento global causado pelo aumento dos gases-estufa da combustão de carvão, petróleo e gás." _______________ A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter Autor: Shamil Shams (av)

Fonte: DW | dw-world.de

TAGS