PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Mulher é morta na Rússia após companheiro descobrir que ela era transexual

Nina Surgutskaya, de 25 anos, havia feito cirurgia de redesignação sexual

12:02 | 25/04/2019
Nina Surgutskaya havia feito cirurgia de redesignação sexual, o que não
Nina Surgutskaya havia feito cirurgia de redesignação sexual, o que não "agradou" o companheiro. (Foto: Reprodução/Isto É)

Segundo informações publicadas no Daily Mail, site de notícias britânico, uma mulher transexual russa foi assassinada, na última semana, com extrema violência pelo companheiro. Nina Surgutskaya teve o corpo desmembrado e “cozinhado” em casa. O crime aconteceu em Kursk, cidade da Rússia. Mikhail Tikhonov, o agressor, confessou o crime à polícia, dando todos os detalhes do ato.

A investigação começou após a mãe de Nina notar seu desaparecimento. Mikhail, a partir de então, começou a ser investigado. Conforme a Justiça da Rússia, ele pode ser condenado a até 20 anos pelos crimes de assassinato e mutilação de cadáver.

No depoimento, o acusado negou ter relação com práticas canibalistas, mas admitiu ter cozinhado o corpo de Nina para evitar que o cheiro chamasse atenção dos vizinhos.

Atualmente, a Rússia segue o posicionamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) no que diz respeito a pessoas transgêneras. Até junho de 2018, o órgão considerava a transgeneridade uma doença mental, que passou a ser entendida como uma “incongruência de gênero”. E mesmo não sendo crime, desde 1993, o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo, a Rússia é palco de reações violentas contra essa população. O País está na lista de lugares inseguros para pessoas LGBTQ+. 

Redação O POVO Online