Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

EUA alteram procedimentos na fronteira após morte de segunda criança

Alfândega argumenta que está revendo metodologia em relação à custódia de crianças tanto na chegada aos centros, quanto nas 24 horas após a chegada
21:14 | Dez. 26, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

As autoridades norte-americanas anunciaram que vão fazer novos exames médicos em crianças que estão sob custódia, após a morte de um migrante de 8 anos, procedente da Guatemala. É o segundo caso de um menor que morre sob custódia dos Estados Unidos (EUA), depois de atravessar a fronteira ilegalmente. O governo da Guatemala exigiu uma investigação “clara” sobre as mortes.
  
“Esta é uma perda trágica”, disse Kevin K. McAleenan, responsável pela Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP, sigla em inglês de Customs and Border Protection). Representante da autoridade que vigia as fronteiras, McAleenan manifestou à família condolências pela morte de Felipe Alonzo-Gomez, um menino de 8 anos que morreu sob custódia do governo norte-americano na noite de Natal.
  
Nessa terça-feira, 25, o CBP anunciou em comunicado que realiza exames nas crianças com idade até 10 anos. A instituição argumenta que está revendo sua metodologia em relação à custódia dessas crianças, tanto na chegada aos centros, como 24 horas após a chegada.
  
Além disso, a Patrulha de Fronteira diz que trabalha com o Departamento de Imigração e Alfândega para o transporte para centros residenciais de Família e alta supervisionada. A agência examina as opções de custódia para aliviar os problemas de superlotação em El Paso, como por exemplo, trabalhar com organizações não governamentais ou parceiros locais para moradias temporárias.
  
O CBP estuda opções de assistência médicas com outros parceiros governamentais, como a Guarda Costeira, o Departamento de Defesa, serviços de saúde ou centros de Controle de Doença e Prevenção.
 
  
Histórico
  
Felipe Alonzo-Gomez mostrou “sinais potenciais de doença” na segunda-feira e foi levado, juntamente com o pai, a um hospital em Alamogordo, no estado do Novo México, onde foi diagnosticada uma gripe. Apresentou depois febre e ficou na unidade médica mais 90 minutos, tendo recebido alta na tarde do mesmo dia, com prescrição de antibiótico.
  
À noite, voltou ao hospital com náuseas e vômitos e morreu quatro horas depois, segundo a CBP, pouco depois da meia-noite do dia de Natal.
  
A agência informa que ainda não está determinada a causa da morte e que haverá uma investigação. O Departamento de Segurança Interna e o governo da Guatemala foram notificados.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Atacante Erick é regularizado e pode estrear pelo Ceará

Tá no BID
15:17 | Ago. 04, 2021
Autor Brenno Rebouças
Foto do autor
Brenno Rebouças Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O Ceará ganhou um reforço para a partida de domingo, contra o Atlético-GO, pela 15ª rodada da Série A do Brasileiro. Trata-se do atacante Erick, que teve o nome publicado no BID e está apto a estrear com a camisa alvinegra.

Erick já treina com o restante do elenco do Ceará há pelo menos duas semanas, portanto não deve ter problemas físicos ou de entrosamento. A estreia dele diante do Dragão depende apenas do técnico Guto Ferreira.

O Alvinegro adquiriu o atleta em definitivo com contrato vigente até o final de 2023. Houve a compra de 50% dos direitos econômicos do jogador junto ao Braga, de Portugal, por 400 mil euros (cerca de R$ 2,4 milhões na cotação atual), que serão pagos em cinco parcelas O anúncio oficial foi feito no dia 23 de julho.

Na atual temporada, Erick vinha jogando pelo Náutico e em 19 partidas fez sete gols. Atacante de lado, ele joga tanto na direita quanto na esquerda, o que aumenta as opções de Guto Ferreira.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

BC tem perda de R$ 8,927 bi com swap cambial em julho

ECONOMIA
15:13 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após o lucro de R$ 21,658 bilhões com as operações de swap cambial em junho, o Banco Central (BC) registrou prejuízo de R$ 8,927 bilhões em julho com sua posição pelo critério caixa.
Pelo conceito de competência, houve perdas de R$ 13,456 bilhões. O resultado pelo critério de competência inclui ganhos e perdas ocorridos no mês, independentemente da data de liquidação financeira. A liquidação financeira desse resultado (caixa) ocorre no dia seguinte, em D+1.
O BC obteve ainda ganhos de R$ 53,419 bilhões com a rentabilidade na administração das reservas internacionais no mês passado. Entram nesse cálculo ganhos e prejuízos com a correção cambial, a marcação a mercado e os juros.
Já o resultado líquido das reservas, que é a rentabilidade menos o custo de captação, ficou positivo em R$ 44,962 bilhões em julho. O resultado das operações cambiais no período ficou positivo em R$ 31,506 bilhões.
No acumulado de 2021 até o fim de julho, o lucro com swaps somou R$ 16,048 bilhões pelo resultado caixa e R$ 7,133 bilhões pelo competência. Já a rentabilidade das reservas internacionais ficou negativa em R$ 18,096 bilhões, com resultado líquido negativo de R$ 61,171 bilhões e operações cambiais também negativas de R$ 54,038 bilhões.
O BC sempre destaca que, tanto em relação às operações de swap cambial quanto à administração das reservas internacionais, não visa ao lucro, mas fornecer hegde ao mercado em tempos de volatilidade e manter um colchão de liquidez para momentos de crise.
Posição cambial líquida
A posição cambial líquida do Banco Central atingiu US$ 274,281 bilhões no dia 30 de julho, conforme dados divulgados pela instituição. No fim de dezembro de 2020, essa posição estava em US$ 299,450 bilhões.
A posição traduz o que está disponível para que o BC faça frente a alguma necessidade de moeda estrangeira - como fornecer liquidez ao mercado em momentos de crise como a atual, por exemplo.
A posição leva em conta as reservas internacionais, o estoque de operações de linha do BC (venda de dólares com compromisso de recompra), a posição da instituição em swap cambial e os Direitos Especiais de Saque (DES) do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI).
Posição dos bancos
Os bancos fecharam julho de 2021 com posição vendida no câmbio à vista de US$ 13,528 bilhões, informou o Banco Central. No fim de dezembro de 2020, essa posição estava vendida em US$ 35,853 bilhões e, em junho deste ano, vendida em US$ 14,330 bilhões.
As instituições financeiras atuam como contrapartes em operações cambiais. Assim, quando há remessas de moeda estrangeira ao exterior, elas fornecem dólares a empresas e fundos, por exemplo, para envio. Neste caso, a "posição vendida" das instituições tende a aumentar.
Em movimento contrário, quando há entrada de recursos no Brasil, as instituições financeiras recebem os dólares, o que reduz a "posição vendida" ou eleva a "posição comprada".
A posição dos bancos no mercado à vista também é alterada sempre que o BC realiza leilões de dólares. Assim, quando o BC vende moeda aos bancos, a posição vendida à vista tende a diminuir.
Base monetária
O saldo da base monetária atingiu R$ 427,958 bilhões em 30 de julho, pelo conceito de fim de período, informou o Banco Central. O valor leva em conta o papel-moeda emitido e as reservas bancárias (livres e compulsórias). Em dezembro de 2020, a base monetária estava em R$ 431,537 bilhões.
Com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, a base monetária vinha apresentado acréscimos em função das emissões de moeda para pagamentos de auxílios emergenciais a uma parcela da população.
Para fazer frente à maior demanda da população por papel-moeda, o BC lançou no ano passado a cédula de R$ 200.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Cresce surto de covid-19 na China

INTERNACIONAL
15:13 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A pior onda de coronavírus na China desde o início da pandemia se intensificou nesta quarta-feira, 4, após ser detectado que um surto de casos ligados ao aeroporto internacional na cidade de Nanjing atingiu pelo menos 17 províncias. Segundo a Associated Press, a China relatou 71 novos casos de covid-19 de transmissão local hoje, mais da metade deles na província costeira de Jiangsu.
Em Wuhan, testes em massa mostraram que alguns dos novos casos relatados têm um alto grau de semelhança com os casos descobertos na província de Jiangsu. As infecções foram classificadas como sendo causadas pela variante Delta, identificada pela primeira vez na Índia.
O aumento de infecções também foi observado no Japão, à medida que casos atingem recorde em Tóquio, cidade-sede das Olimpíadas. Segundo o ministro da Saúde, Norihisa Tamura, a variante Delta está levando a uma disseminação de infecções "nunca visto no passado", e defendeu uma nova política de pedir aos pacientes com sintomas mais brandos de se isolar em casa em vez de ir ao hospital.
Na esteira da imunização mundial contra a doença, nos Estados Unidos, o Departamento de Saúde Pública de São Francisco e o Hospital Geral Zuckerberg de São Francisco afirmaram que os pacientes que receberam a vacina de dose única covid-19 da Johnson & Johnson podem receber uma segunda injeção produzida da Pfizer ou da Moderna, declarou a CNBC.
Autoridades disseram que estão permitindo que os pacientes recebam injeções extras devido ao alto número de solicitações que estão recebendo dos residentes. No entanto, eles destacaram que a vacina Janssen é altamente eficaz contra o vírus e suas variantes. Apesar da medida, as autoridades ressaltaram que não representa uma mudança na política do país.
Hoje, o mundo ultrapassou a marca de 200 milhões de casos de covid-19, de acordo com uma contagem feita pelo site Worldometers. Os casos voltaram a subir em várias partes do mundo nas últimas semanas por causa da variante Delta, apesar das mais de 4 bilhões de doses de vacinas já aplicadas globalmente.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Fluxo cambial total de julho fica positivo em US$ 831 milhões, revela BC

ECONOMIA
15:13 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Depois de registrar entradas líquidas de US$ 4,449 bilhões em junho, o País fechou julho com fluxo cambial positivo de US$ 831 milhões, informou nesta quarta-feira o Banco Central.
No canal financeiro, houve saída líquida de US$ 1,909 bilhão em julho, resultado de aportes no valor de US$ 40,877 bilhões e de retiradas no total de US$ 42,786 bilhões. Este segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.
No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 2,740 bilhões, com importações de US$ 17,395 bilhões e exportações de US$ 20,135 bilhões.
Nas exportações, estão incluídos US$ 2,343 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 4,589 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 13,203 bilhões em outras entradas.
Semana
O fluxo cambial da semana passada (de 26 a 30 de julho) ficou positivo em US$ 1,616 bilhão, informou o Banco Central (BC).
O canal financeiro registrou no período entrada líquida de US$ 1,049 bilhão. Isso foi resultado de aportes no valor de US$ 10,371 bilhões e de envios no total de US$ 9,322 bilhões.
No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 567 milhões no período, com importações de US$ 4,982 bilhões e exportações de US$ 5,549 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 745 milhões em ACC, US$ 1,008 bilhão em PA e US$ 3,797 bilhões em outras entradas.
Acumulado do ano
O fluxo cambial total do ano de 2021 até o fim de julho foi positivo em US$ 16,172 bilhões, informou o Banco Central. No mesmo período de 2020, o resultado havia sido negativo em US$ 15,818 bilhões.
Em 2021 até o fim de julho, a entrada líquida de dólares pelo canal financeiro foi de US$ 90 milhões. Este resultado é fruto de aportes no valor de US$ 305,338 bilhões e de envios no total de US$ 305,248 bilhões.
No comércio exterior, o saldo acumulado ficou positivo em US$ 16,082 bilhões, com importações de US$ 120,634 bilhões e exportações de US$ 136,716 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 18,178 bilhões em ACC, US$ 36,756 bilhões em PA e US$ 81,782 bilhões em outras entradas.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Pentatlo moderno: Iêda Guimarães estreia em Tóquio nesta madrugada

Esportes
15:12 | Ago. 04, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Única representante do pentatlo brasileiro na Olimpíada de Tóquio (Japão), a carioca Iêda Guimarães, de 20 anos,  começa nas próximas horas sua caminhada em busca da segunda medalha olímpica do país na modalidade. Lá se vão nove anos desde que a pernambucana Yane Marques fez história ao conquistar o bronze nos Jogos de Londres (2012).

 A partir de 1h (horário de Brasília) desta quinta-feira (5), Iêda Guimarães estreia nos Jogos de Tóquio disputando a prova da esgrima, a primeira das cinco que compôem o pentatlo. Todas as demais ocorrerão na sexta (6), a partir das 2h30: natação (200 metros livre), hipismo e a prova combinada de tiro e corrida (800 m).

"Sempre tive o sonho de disputar os Jogos Olímpicos. Aqui em Tóquio, quero fazer uma boa prova porque a medalha será consequência disso. E, claro, aproveitar bastante esse momento que estou vivendo”, disse a atleta em depoimento ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). 

A brasileira garantiu a vaga olímpica há dois anos, com a quarta colocação nos Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru). Antes, em 2018, Iêda faturou o bronze na disputa individual e o ouro no revezamento misto nos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba (Bolívia).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags