Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Barbie lança bonecas que representam mulheres inspiradoras

Nos últimos dois anos, a empresa vem desenvolvendo modelos mais inclusivos da boneca Barbie
12:08 | Mar. 07, 2018
Autor
Foto do autor
Autor
Tipo Notícia

[FOTO1] 

Para comemorar o Dia Internacional da Mulher, a marca de bonecas Barbie lançou uma coleção que terá os nomes de mulheres famosas pelos seus feitos. A artista Frida Kahlo, a piloto de avião Amelia Earhart e a matemática da Nasa Katherine Johnson são algumas das 17 novas bonecas da linha. O objetivo da coleção é honrar mulheres de todo o mundo que são inspiração e tiveram um papel histórico ou moderno.

“Sabemos que você não pode ser o que você não vê”, disse Lisa McKnight, vice presidente e administradora geral da Barbie, na empresa Mattel. Nos últimos dois anos, a empresa vem desenvolvendo modelos mais inclusivos da boneca Barbie, que era criticada por reforçar padrões de beleza e comportamentos nocivos para meninas. Hoje, as linhas das bonecas têm mais mulheres de diferentes etnicidades, corpos e profissões.

A boneca da Frida Kahlo deve ser a única a chegar ao Brasil no dia 8 de março. O preço sugerido para o brinquedo é R$ 249,99. As outras bonecas da linha serão vendidas nos Estados Unidos por US$ 29,99, e não tem previsão de chegada nas lojas brasileiras. Confira a lista das outras 14 bonecas:

- Cineasta americana Patty Jenkins
- Atleta de snowboard americana Chloe Kim
- Conservacionista australiana Bindi Irwin
- Boxeadora britânica Nicola Adams
- Atleta de windsurf turca Çagla Kubat
- Chef de cozinha francesa Hélène Darroze
- Campeã de vôlei chinesa Hui Ruoqi
- Designer empreendedora alemã Leyla Piedayesh
- Jogadora profissional de futebol italiana Sara Gama
- Atriz e filantropa chinesa Xiaotong Guan
- Bailarina chinesa Yuan Yuan Tan
- Empreendedora e designer de moda espanhola Vicky Martin Berrocal

 

Redação O POVO Online

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Renata Ceribelli é a segunda eliminada de The Masked Singer Brasil

Reality Musical
23:51 | Ago. 17, 2021
Autor Ana Flávia Marques
Foto do autor
Ana Flávia Marques Autor
Ver perfil do autor
Tipo

O segundo episódio de The Masked Singer Brasil desta terça, 17 de agosto (17/08), na TV Globo, já teve sua segunda desmascarada, a repórter Renata Ceribelli. Fantasiada de brigadeiro, o artista cantou "Chocolate", de Tim Maia, mas não agradou aos jurados como os outros participantes. 

Ao todo o programa contém 12 participantes: Arara, Unicórnio, Boi-Bumbá, Brigadeiro, Coqueiro, Monstro, Jacaré, Girassol, Astronauta, Gata Espelhada, Dogão e Onça Pintada. Porém, apenas 6 se apresentaram hoje.

Podcast Vida&Arte

O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Câmara vota da PEC da reforma eleitoral em segundo turno

Política
23:49 | Ago. 17, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O plenário da Câmara dos Deputados concluiu na noite desta terça-feira (17) a votação, em segundo turno, do Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma eleitoral. O texto aprovado na Casa segue agora para análise do Senado, onde precisa ser aprovado por, pelo menos, 49 senadores em dois turnos para ser promulgada.

Na votação desta terça-feira da PEC 125/11, os parlamentares mantiveram no texto a volta das coligações partidárias nas eleições proporcionais a partir de 2022 , assim como o dispositivo que permite a contagem em dobro dos votos dados a candidatos mulheres e negros para a Câmara dos Deputados nas eleições de 2022 a 2030 para a distribuição dos recursos do Fundo Partidário e do Fundo de Financiamento de Campanhas.

Durante a votação do segundo turno, os deputados retiraram do texto da deputada Renata Abreu (Podemos-SP), as mudanças na cláusula de desempenho, que define quais partidos podem ter acesso a recursos do Fundo Partidário e do Fundo de Financiamento de Campanhas e ao tempo de rádio e TV de propaganda eleitoral.

O trecho retirado pretendia garantir o acesso aos fundos e ao tempo de propagando eleitoral também aos partidos que tivessem pelo menos cinco senadores. Atualmente, esse acesso é permitido para legendas que tenham atingido um mínimo de deputados federais ou de votos para a Câmara dos Deputados.

Também foi retirada da PEC o caráter exclusivo de gratuidade de cursos que as fundações partidárias podem oferecer com recursos do fundo partidário. Esse tema deve ser tratado por lei específica.

Outro item que ficou de fora do texto foi o que adiava as eleições para a semana seguinte, se elas estivessem marcadas em domingos próximos a feriados. Inicialmente, este era o assunto original da PEC 125/11.

* Com informações da Agência Câmara

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Palmeiras vence São Paulo e está na semifinal da Libertadores

Esportes
23:49 | Ago. 17, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Palmeiras se tornou o primeiro time brasileiro nas semifinais da atual edição da Copa Libertadores após derrotar o São Paulo por 3 a 0, na noite desta terça-feira (17) no Allianz Parque. O Verdão garantiu sua passagem graças a gols de Raphael Veiga, Dudu e Patrick de Paula.

Dialogar ou não com os talibãs? O difícil dilema do Ocidente

23:22 | Ago. 17, 2021
Autor AFP
Tipo Notícia

Após duas décadas de guerra contra os talibãs, as potências ocidentais enfrentam a encruzilhada de estabelecer ou não relações com o grupo fundamentalista islâmico que governa o Afeganistão agora. Os insurgentes parecem receber uma acolhida internacional mais calorosa do que durante seu primeiro regime brutal (1996-2001). Rússia, China e Turquia saudaram suas primeiras declarações públicas.

Se os americanos negociam com os talibãs um "calendário" de evacuações, a Casa Branca insiste em que vai esperar para julgar seus atos, particularmente sobre os direitos humanos, antes de decidir a natureza de suas futuras relações diplomáticas.

"Caberá aos talibãs demonstrar ao resto do mundo quem são", disse nesta terça-feira, 17, Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional do presidente Joe Biden.

"O balanço não é bom, mas é prematuro" dizer o que vai acontecer. Os Estados Unidos, no entanto, se disseram prontos a manter sua presença diplomática no aeroporto de Cabul após a data limite para a retirada de suas tropas prevista para 31 de agosto, com a condição de que a situação seja "segura", informou o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price.

No entanto, o chefe da diplomacia europeia, Josep Borell, admitiu nesta terça que "os talibãs venceram a guerra. Devemos falar com eles".

O Canadá anunciou que não tem a intenção de reconhecer um governo talibã, enquanto o ministro de assuntos exteriores da Grã-Bretanha, Dominic Raab, disse que "normalmente" Londres não vai trabalhar com os insurgentes.

Coordenar a decisão?


Mas, com as negociações ainda em curso no Catar para se chegar a um governo que seja o mais representativo possível da sociedade afegã, "queremos avaliar se há uma possibilidade de moderar o tipo de regime" que vai governar o Afeganistão, acrescentou.

"Agora detêm o poder e devemos levar esta realidade em conta", afirmou Raab à Sky News, sem deixar de admitir que as possibilidades de ver instalado um governo inclusivo são pequenas.

As potências ocidentais têm muito menos capacidade de influência agora que os talibãs estão no poder do que quando estavam no campo de batalha.

Os Estados Unidos exercem, no entanto, uma influência sem igual nos credores internacionais e podem impor sanções drásticas ou condicionar as ajudas necessárias para reconstruir um país devastado por 20 anos de guerra.

Lisa Curtis, ex-conselheira da Casa Branca para a Ásia Central e do Sul na Presidência de Donald Trump, avalia que Washington deveria usar um possível reconhecimento diplomático dos talibãs para pressioná-los e exigir deles uma conduta melhor.

"Já que devemos fazer nossa ajuda chegar lá, vamos ter que nos relacionar com eles em certo nível", acrescentou. "Mas o reconhecimento diplomático não deveria ser entregue sem nada em troca", afirmou.

Difícil perdoar


Só três países - Paquistão, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita - reconheceram o regime talibã precedente, que impôs uma versão ultrarrigorosa da lei islâmica.

Desta vez, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tentou impedir que o Paquistão, um histórico apoiador dos talibãs, reconhecesse o novo governo, assegurando que este reconhecimento deveria ser acordado "sobre uma base internacional, não unilateral".

Mas em termos de laços diplomáticos, os Estados Unidos não perdoam facilmente.

Washington esperou duas décadas após a queda de Saigon para estabelecer relações com o Vietnã comunista e 54 anos antes de reabrir uma embaixada em Cuba.

Ao contrário, nunca restabeleceu as relações com o Irã após a revolução islâmica de 1979.

Ao realizar um acordo de retirada com os talibãs em 2020, o então presidente Trump parecia apontar para a possibilidade de se entender com os insurgentes por considerá-lo útil para enfrentar o grupo Estado Islâmico.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

EUA afirmam que talibãs permitirão acesso de civis ao aeroporto

23:17 | Ago. 17, 2021
Autor AFP
Tipo Notícia

Os Estados Unidos afirmaram nesta terça-feira que os talibãs prometeram permitir que os civis que quiserem deixar o Afeganistão tenham acesso ao aeroporto de Cabul, enquanto militares americanos intensificavam os voos de evacuação, após a tomada do poder pelos islamitas.

Cerca de 11.000 americanos permanecem no país, incluindo diplomatas e prestadores de serviço, de acordo com a Casa Branca. Washington quer concluir as evacuações antes do prazo de retirada estabelecido pelo presidente Joe Biden, 31 de agosto.

Milhares de soldados americanos estavam no aeroporto de Cabul para apoiar esses esforços, enquanto o Pentágono planejava aumentar a frequência de seus aviões de transporte C-17 para 24 por dia.Funcionários americanos informaram que estavam em contato com comandantes talibãs para garantir a segurança das operações no aeroporto internacional Hamid Karzai.

O porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, indicou que os Estados Unidos podem decidir manter sua presença diplomática no Afeganistão - que agora opera fora do aeroporto, após o fechamento da embaixada - além de 31 de agosto: "Se for seguro e responsável para nós potencialmente ficar mais tempo, isso é algo que podemos considerar."

Equipamento em poder dos talibãs

A Casa Branca reconheceu hoje que os talibãs se apossaram de uma quantidade significativa de equipamento militar dos Estados Unidos depois de assumirem o controle do Afeganistão, após duas décadas de guerra.

Fotos e vídeos mostram o Talibã com armas de fogo e veículos usados pelas tropas do Pentágono ou fornecidos às forças de segurança nacional afegãs, além de helicópteros UH-60 Black Hawk e outros equipamentos no aeroporto de Kandahar.

"Não temos todos os detalhes, obviamente, de onde cada artefato do material de defesa foi parar. Mas certamente uma boa parte caiu nas mãos do Talibã", disse Jack Sullivan, conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca. "Obviamente, não acreditamos que nos devolvam facilmente", acrescentou.

Sullivan observou que os helicópteros foram entregues às forças do governo afegão para ajudar na luta contra o Talibã. Mas as forças do governo sucumbiram rapidamente à insurgência islâmica, abrindo mão do controle de grandes depósitos de armas e seus helicópteros.

Passageiros diários

Os Estados Unidos deram conta hoje de uma aceleração do ritmo das evacuações no Afeganistão, afirmando que os talibãs, que controlam Cabul, não estavam interrompendo as operações no aeroporto. "Não tivemos interações hostis, nenhum ataque ou ameaça do Talibã", disse o general Hank Taylor.

Desde a reabertura do aeroporto de Cabul, na madrugada desta terça-feira, após uma paralisação de várias horas por questões de segurança, os Estados Unidos evacuaram cerca de 800 pessoas, incluindo 165 americanos, em sete voos, disse ele.

A meta dos Estados Unidos é aumentar os voos para um avião por hora, a fim de transportar entre 5.000 e 9.000 passageiros por dia. "Tomamos as medidas adequadas para retomar operações seguras e organizadas no aeroporto", disse Taylor.

Outros países, incluindo Alemanha e França, também conseguiram pousar aviões em Cabul para resgatar afegãos e nacionais.

Taylor se manifestou um dia depois que circularam imagens de centenas de afegãos que tentavam impedir a partida de um enorme avião militar, pendurando-se à parte externa da aeronave, na pista do aeroporto de Cabul. Nos vídeos, duas pessoas pareciam cair do avião após a decolagem. Outra, de acordo com o "Washington Post", foi, mais tarde, encontrada morta no trem de pouso.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse que a Força Aérea dos Estados Unidos está investigando esses incidentes. Os Estados Unidos prometeram aceitar milhares de afegãos que trabalharam a seu serviço, além de suas famílias, e que temem uma retaliação do Talibã. Mais de 1.000 foram evacuados desde o início das operações, há três dias.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags