PUBLICIDADE
Notícias

Atriz pornô diz ter sido ameaçada para esconder caso com Donald Trump

Stephanie Clifford afirma ter assinado contrato de US$ 130 mil dias antes da eleição presidencial de 2016, para que ela se mantivesse em silêncio sobre a relação com o então candidato a presidente

16:42 | 26/03/2018
Donald Trump e atriz pornô que o acusa.
Donald Trump e atriz pornô que o acusa.
[FOTO1] 
Stephanie Clifford detalhou suposto caso com Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, neste domingo, em entrevista ao programa 60 minutes, da rede de televisão norte-americana CBS. De acordo com a atriz pornô, em 2011, ela e a filha sofreram ameaças. Além disso, a mulher afirma ter tido relações íntimas sem camisinha com Trump. 

Na entrevista, a atriz, que se identifica como Stormy Daniel, quer ser liberada de um acordo de confidencialidade. De acordo com ela, dias antes da eleição presidencial de 2016, um acordo de US$ 130 mil foi fechado para que ela se mantivesse em silêncio sobre a relação com então candidato a presidente, que depois seria eleito. 

Stephanie afirma ter iniciado o caso com o presidente em julho de 2006. Na mesma noite, a atriz diz ter tido relação sexual com Trump sem o uso de preservativos. Conforme dito na entrevista, os dois foram apresentados em uma festa e Trump a convidou para conhecer a suíte na qual estava hospedado. Na época do suposto caso, Melania Trump, esposa de Donald Trump, tinha acabado ter o filho mais novo do casal, Barron.
[FOTO2]
Em 2011, Stephanie tentou vender a história para uma revista, mas foi ameaçada em um estacionamento por um desconhecido. "Um cara veio até mim e disse: ‘Deixe o Trump para lá. Esqueça essa história’. Aí ele se inclinou, olhou para a minha filha e disse: ‘Essa é uma menininha linda. Seria uma pena se acontecesse algo com a sua mãe’", afirma.

A história nunca foi publicada na revista.

Na entrevista, Stephanie Clifford afirmou estar correndo risco de ser multada em US$ 1 milhão por quebrar o pacto de confidencialidade, mas que corre o risco "para ser capaz de se defender". A mulher afirma que Michel Cohen a ameaçou. “Disseram que fariam da minha vida um inferno se eu não assinasse o acordo”, revela. 

Advogado

Segundo Michael Cohen, advogado do presidente, os US$ 130 mil foram pagos do próprio bolso, e o dinheiro não foi uma contribuição de campanha.
 
Uma possível consequência para Donald Trump é a denúncia feita ao Departamento de Justiça e à Comissão Eleitoral Federal. Eles irão investigar se suposta compra do silêncio de Stephanie é uma contribuição ilegal de campanha.
 
 
Redação OPOVO Online 
TAGS