PUBLICIDADE
Notícias

Em dia de fúria, Indonésia e Alasca têm terremotos e Japão e Filipinas registram erupções de vulcões

Fenômenos provocaram pânico e levaram a evacuações, alertas de tsunami, morte e feridos

12:32 | 23/01/2018
Imagens de escombros causados pelo terremoto
Imagens de escombros causados pelo terremoto

[FOTO2] 

Em dia de intensa atividade na zona do Pacífico, vulcões e terremotos provocaram pânico e destruição. Tremores de terra levaram a evacuações na Indonésia e no Alasca. Neste último, houve alerta de tsunami. Nas Filipinas, mais de 40 mil pessoas pessoas deixaram suas casas devido a atividade vulcânica. No Japão, uma pessoa morreu e várias ficaram feridas em avalanche desencadeada por erupção.
[FOTO1]
Indonésia

Centenas de pessoas abandonaram suas casas e seus escritórios e correram para as ruas dominadas pelo pânico causado nesta terça-feira, 23, por potente tremor de magnitude 6,4 que sacudiu Jacarta, a capital da Indonésia.

As autoridades não forneceram informações sobre vítimas. O epicentro do tremor foi 81 km a sudoeste da província de Banten, frente ao litoral de Java, indicou a Agência Meteorológica, Climatológica e Geofísica da Indonésia (BMKG).

O terremoto foi sentido durante cerca de 20 segundos e, em seguida, moradores e empregados abandonaram as casas e os prédios, alguns com calma, outros em pânico, atendendo aos chamados para abandonar as construções. As pessoas se aglomeraram em meio a grandes avenidas, já lotadas por veículos em pleno horário de trabalho.

Pouco depois do terremoto, começaram a ser postadas nas redes sociais fotos mostrando as rachaduras abertas em algumas ruas e outros danos menores em edifícios e veículos estacionados na via pública. O terremoto aconteceu enquanto o secretário de Defesa de Estados Unidos, James Mattis, realizava uma visita oficial a Jacarta.

"O epicentro se situou em uma área propensa a terremotos. É muito provável que ocorram réplicas", alertou o diretor do BMKG, Dwikorita Karnawati, em declarações ao canal Metro TV. A Indonésia, que conta com mais de 17 mil ilhas, está situada no Cinturão de Fogo do Pacífico, onde se registra uma importante atividade sísmica e vulcânica devido à constante fricção de placas tectônicas.

Em 16 de dezembro passado, um tremor de magnitude 6,5 atingiu a ilha de Java e causou três mortos. Em dezembro de 2016, um terremoto na província de Aceh, na ponta norte da ilha de Sumatra (oeste), deixou mais de cem mortos e milhares de pessoas sem casa. Em dezembro de 2014, um terremoto de magnitude 9,1, que gerou um gigantesco tsunami, causou mais de 170 mil mortos.

Alasca

No Alasca, distante 11 mil quilômetros da Indonésia, potente terremoto de magnitude 7,9 foi registrado também nesta terça, informou o serviço sismológico americano (USGS), gerando alertas de tsunami para este Estado e para o litoral oeste do Canadá.

O terremoto aconteceu no Golfo do Alasca, 280 km a sudeste da cidade de Kodiak, segundo o USGS. O Centro Nacional de Alerta de Tsunami lançou um alerta para a maior parte do litoral sul do Alasca, as ilhas Aleutas e a província canadense de Columbia britânica.

Emitiu, além disso, um aviso de vigilância para toda a costa pacífica dos Estados Unidos, da fronteira com o México até a fronteira canadense, e para o Havaí, no Pacífico.

No Alasca, as autoridades lançaram pedidos para que os habitantes de zonas costeiras se afastem imediatamente do mar e vão para terrenos mais elevados, alertando que um tsunami pode ocorrer horas depois do terremoto.

O tremor foi sentido no litoral do Alasca e em um raio de centenas de quilômetros.

Em 1964, um tremor de magnitude 9,2, perto do Estreito de Prince William no Alasca, seguido de um tsunami, deixou um saldo de 125 mortos.


[FOTO4]
Japão

A 5 mil quilômetros do Alasca, um soldado morreu nesta terça-feira na erupção de um vulcão que desencadeou uma avalanche perto de uma estação de esqui a noroeste de Tóquio, anunciou o ministério da Defesa.

O membro das Forças de Autodefesa morreu ao ser arrastado pela avalanche na zona em que participava com colegas de um treinamento.

Além dos militares, outras dez pessoas ficaram feridas, das quais cinco com gravidade, segundo os bombeiros. Outras cem pessoas foram evacuadas.

As autoridades informaram que 78 pessoas ficaram bloqueadas nas cabines do teleférico que parou devido ao corte de energia.

A agência de meteorologia pediu aos habitantes da zona que não se aproximassem do monte Kusatsu Shirane depois de detectada uma leve atividade vulcânica.

[FOTO3]
Filipinas

Fontes de lava foram lançadas nesta terça-feira do monte Mayón, na ilha de Luzón, o vulcão mais ativo nas Filipinas, a mais de  2 mil quilômetros do Japão. O céu ficou escuro por uma chuva de cinzas finas e escombros, aumentando a preocupação dos habitantes da zona. Mais de 40 mil pessoas foram evacuadas.

A agência de vulcanologia filipina advertiu sobre uma erupção perigosa iminente.  Calcula-se que o Mayón, de 2.460 metros de altura, poderá entrar em erupção nos próximos dias depois de duas semanas de atividade.

As autoridades da aviação civil fecharam os aeroportos das cidades de Legazpi e Naga assim como da ilha vizinha de Masabate.

Algumas estradas também foram fechadas por causa da pouca visibilidade causada pelas cinzas.

As ilhas das Filpinas se encontram no chamado Cinturão de Fogo do Pacífico, zona onde se situam placas tectônicas, o que provoca uma frequente atividade sísmica e vulcânica.

Com AFP
TAGS