PUBLICIDADE
Notícias

Veja os marcos médicos mundiais em termos de transplantes

08:37 | 01/12/2017

Cinquenta anos depois do primeiro trasplante cardíaco realizado por Christiaan Barnard na África do Sul, apresentamos uma síntese das grandes conquistas em matéria de trasplante de órgãos, membros e tecidos.

A descoberta dos efeitos imunosupressores da ciclosporina, derivada de um fungo microscópico, deu um novo impulso aos trasplantes desde o começo dos anos 1980, ao reduzir fortemente o risco de rejeição.

Em novembro de 1869, o médico suíço Jacques-Louis Reverdin realizou em Paris o primeiro trasplante moderno de pele. Ele teve a ideia de cobrir com epiderme uma ferida no cotovelo esquerdo de um paciente, extraindo pele do braço direito do próprio paciente.

Junho de 1950, Chicago (Estados Unidos): o médico Richard Lawler trasplantou o rim de uma pessoa morta para uma mulher com uma doença renal. O rim trasplantado foi rejeitado ao fim de 10 meses, mas a paciente sobreviveu cinco anos.

Dois anos depois, a França se destacou por realizar o primeiro trasplante a partir de um paciente vivo, com a equipe de Jean Hamburger, do hospital Necker de Paris. O jovem receptor morreu 21 dias depois da operação.

Março de 1963, Denver (Estados Unidos): o professor Thomas Starzl tentou o primeiro trasplante de fígado. O paciente morreu depois da intervenção.

Junho de 1963, Jackson (Estados Unidos): o médico James Hardy realizou o primeiro trasplante de pulmão. O paciente sobreviveu 18 dias.

Dezembro de 1967, Cidade do Cabo (África do Sul): o médico Christiaan Barnard fez o primeiro trasplante cardíaco. O paciente trasplantado sobreviveu 18 dias.
O primeiro trasplante de coração artificial, Jarvik 7, de fabricação americana, foi realizado em dezembro de 1982 no hospital de Salt Lake City (Estados Unidos). O paciente sobreviveu 122 dias.

Janeiro de 1998 (anunciado em 2001), Cleveland (Estados Unidos): trasplante de laringe exitoso em um homem que havia perdido suas cordas vocais em um acidente de moto.

Setembro de 1998, Lyon (França): a equipe do professor Jean-Michel Dubernard trasplantou a mão de um doador em um neo-zelandês de 47 anos (alotrasplante). Clint Hallam foi amputado em fevereiro de 2001, depois de ter abandonado seu tratamento antirrrejeição.
Janeiro de 2000: trasplante de duas mãos e da parte inferior do antebraço, realizados também pelo doutor Dubernard.

Julho de 2003, Viena (Áustria): primeiro trasplante de língua realizado em um paciente com câncer.

Novembro de 2005, Amiens (França): trasplante de rosto parcial (nariz, lãbios, queixo) em uma mulher desfigurada por seu cachorro.

Março de 2010, Barcelona (Espanha): uma equipe do hospital Vall d'Hebron dirigido por Joan Pere Barret realizou o primeiro trasplante total de rosto, com êxito, em um homem que ficou com uma má formação depois de um acidente.

Agosto de 2015, Nova York (Estados Unidos): a equipe do professor Eduard Rodríguez, do centro NYU Langone, conseguiu um trasplante total de rosto, couro cabeludo, orelhas e canais auditivos, apresentado como o mais completo até essa data.

Em 2006 foi realizado o primeiro trasplante de pênis com sucesso, com um chinês, que mais tarde pediu para que o órgão fosse retirado por um problema psicológico.

Setembro de 2014, Gotemburgo (Suécia): pela primeira vez, uma mulher deu à luz depois de ter-se beneficiado de um trasplante de útero.


AFP

TAGS