PUBLICIDADE
Notícias

Pesquisa revela continente desaparecido há 200 milhões de anos debaixo do Oceano Índico

Os fragmentos teriam se desprendido do supercontinente Gondwan durante a formação da África, Índia, Austrália, América do Sul e Antártida

11:44 | 03/02/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

Fragmentos de um continente que despareceu há 200 milhões de anos foram encontrados sob as águas das Ilhas Maurício, no Oceano Índico. A descoberta de uma equipe de pesquisadores da Universidade de Witwatersrand (África do Sul) foi publicada na revista "Nature Communication".

A pesquisa foi iniciada a partir de um mineral de três bilhões de anos, chamado de zircão. Os fragmentos teriam se desprendido do supercontinente Gondwan durante a formação da África, Índia, Austrália, América do Sul e Antártida - ficando "à deriva na bacia do Oceano Índico em evolução".

Esses fragmentos, pedaços da crosta que foram cobertos de larva, foram batizados de Mauritia. Os geólogos destacaram a surpresa pela descoberta porque Maurício é uma ilha vulcânica considerada jovem, pois não passa de 9 milhões de anos.

"O fato de termos encontrado zircões desta idade mostra que nas Ilhas Maurício existem materiais da crosta terrestre muito mais antigos que só poderiam ser originários de um continente", diz Lewis Anshwal, principal autor da pesquisa.

Em 2013, um estudo apontou a descoberta de zircões na ilha, mas recebeu uma série de críticas. A alegação contra o estudo era de que o material poderia estar ali levado pelo vento ou até por contaminação.

Agora, Ashwal concluiu que os zircões "não poderiam ter sido introduzidos nas rochas pelo vento ou pelas ondas do mar, nem poderiam ter sido transportados por aves, rodas de carros ou sapatos".

O pesquisador explicou que as rochas só poderiam ter se originado a partir de uma erupção vulcânica.

SERVIÇO
Acesse o artigo publicado na Nature no link

 

Redação O POVO Online

TAGS