PUBLICIDADE
Notícias

Ateliê do Papai Noel trabalha a todo vapor na China

06:54 | 15/12/2016
"O ateliê do papai Noel" trabalha a todo vapor em Yuwu, no leste da China, onde milhares de pessoas garantem a produção de 60% das decorações de Natal consumidas no mundo inteiro.
Em uma fábrica de árvores de plástico, imigrantes procedentes de remotas províncias rurais cortam e torneiam os falsos galhos que formarão a árvore de Natal em algum lar do planeta.
Um total de 80% da produção da fábrica de Sun Xudan é exportado, mas os pedidos dos dois últimos meses do ano alimentam sobretudo o mercado nacional, onde a popularidade do Natal segue crescendo, principalmente nas lojas e nos centros comerciais.
"A demanda interna cresceu nestes últimos anos", explica a dona, que em cinco anos precisou duplicar o espaço de sua fábrica. Muitos dos pedidos emanam de sites de venda on-line como Taobao, número um do setor.
Empregados 10 meses por ano, os funcionários de Sun ganham entre 3.000 e 4.000 iuanes (entre 410 e 550 euros) por mês.
Em uma grande loja de Yiwu, uma comerciante, Qiu Xuemei, afirma que suas vendas de decorações e luzes de Natal aumentaram 20% este ano, apesar da queda dos pedidos procedentes da Rússia, que enfrenta dificuldades econômicas.
A recente queda da moeda chinesa ajuda as exportações e compensou o efeito russo, afirma.
"Os negócios vão bem porque nos concentramos principalmente nos mercados da América do Norte e do Sul", afirmou Qiu.
Seus funcionários já estão quase de férias: a produção para dez dias antes do Natal, mas eles não necessariamente celebrarão a festa cristã.
"Não comprei árvore. O Natal não nos interessa muito", comenta um deles.
mkn/bur/bar/ehl/ltl/app/ma
TAGS