PUBLICIDADE
Notícias

Sobreviventes de tragédia da Chape estavam no alto de morro

Corpos devem começar a ser repatriados nesta quinta-feira, 1º

13:52 | 30/11/2016

O bombeiro Arquímedes Mejía, que atuou no resgate dos passageiros do avião da Chapecoense, contou que os seis sobreviventes da tragédia estavam na parte alta do Cerro Gordo, onde se chocou o trem de pouso da aeronave.

O relato foi dado à rádio "Caracol" e indica que os jogadores Alan Ruschel, Jackson Follmann e Hélio Zampier Neto, os tripulantes Ximena Suárez e Erwin Tumirik e o jornalista Rafael Henzel estavam sentados na mesma parte do jato.

Segundo Mejía, eles encontraram os sobreviventes graças aos seus gritos pedindo ajuda. "A que mais demorou [para ser resgatada] foi a aeromoça [Suárez]. Levamos uma hora e meia para tirá-la", contou o bombeiro.

A comissária de bordo disse a investigadores que as luzes do avião se apagaram momentos antes do impacto, o que indica problemas elétricos. De acordo com o relato de um piloto da Avianca que voava sobre a região no mesmo horário, Miguel Quiroga, comandante da aeronave da Lamia que transportava a Chapecoense e sócio da empresa, reportou uma "falha elétrica total" antes de desaparecer dos radares.

Existe a suspeita de que essa pane tenha sido causada por falta de combustível, já que Quiroga havia solicitado prioridade para pouso minutos antes. Além disso, o jato tinha autonomia de aproximadamente 3 mil km, quase a mesma distância do percurso entre Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e Medellín, na Colômbia, o trajeto percorrido pela Chape.

O avião se chocou contra o Cerro Gordo, nos arredores de Medellín, onde o time catarinense disputaria a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. Imagens feitas de um helicóptero mostram que o primeiro impacto foi contra o pico da montanha - onde foi achada uma asa - e que depois os destroços da aeronave desceram morro abaixo.

 

ANSA

TAGS