PUBLICIDADE
Notícias

Alemanha anuncia detenção de sírio suspeito de preparar atentado

07:48 | 10/10/2016
A polícia deteve nesta segunda-feira o fugitivo sírio suspeito de preparar um atentado terrorista, após dois dias de uma grande operação de busca que deixou a Alemanha em suspense.
Jaber Albakr, de 22 anos, foi detido graças à ajuda de um sírio que havia dado abrigo a ele e, ao reconhecê-lo, o denunciou à polícia, informou a imprensa.
"Tivemos sucesso. O suspeito de terrorismo (Jaber) Albakr foi detido durante a noite em Leipzig", na Saxônia, leste do país, informou a polícia no Twitter.
Albakr havia se alojado no apartamento de um sírio a quem havia abordado na estação de trens de Leipzig e pedido ajuda, de acordo com o site Spiegel Online.
Seu compatriota o hospedou, mas o denunciou à polícia quando percebeu que ele era o fugitivo procurado pelas forças de segurança da Alemanha.
Finalmente, as forças especiais de intervenção encontraram Albakr amarrado no apartamento em Leipzig.
Leipzig fica perto de Chemnitz (260 km ao sul de Berlim), onde morava Albakr, em cujo domicílio a polícia havia encontrado explosivos altamente perigosos.
Jaber Albakr será levado ainda nesta segunda-feira para Karlsruhe (oeste), sede da Promotoria Federal alemã, responsável pelos casos de terrorismo, onde provavelmente será indiciado e enviado para a prisão.
A polícia dará uma coletiva de imprensa às 11h30 GMT (08h30 de Brasília).
"Tudo indica que o suspeito tinha a intenção de cometer um atentado islamita", afirmou a Promotoria.
O alvo poderia ser um aeroporto ou uma plataforma de transporte, especula a imprensa alemã.
Jaber Albakr estava em contato com o grupo extremista Estado Islâmico (EI) pela internet, informou o jornal alemão Süddeutsche Zeitung.
A detenção aconteceu à 01H00 desta segunda-feira, após uma gigantesca operação de busca de 48 horas.
Tudo começou na sexta-feira, quando o serviço de inteligência interna da Alemanha solicitou à polícia de Chemnitz a detenção de Albakr por conta do risco iminente de atentado.
A polícia tentou realizar a detenção na manhã de sábado, mas o suspeito já havia escapado.
Na casa do suspeito, a polícia alemã encontrou 500 gramas de TATP (peróxido de acetona), a substância explosiva preferida do EI.
O TATP foi utilizado pelos homens-bomba dos atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris (130 mortos) e de 22 de março em Bruxelas (32 mortos).
A pessoa de nacionalidade síria que tem o nome no contrato de aluguel do apartamento de Chemnitz também foi indiciada por cumplicidade na preparação de um atentado e foi detida.
No domingo, as forças especiais da polícia anunciaram a detenção de outro suspeito, que está sendo interrogado.
Albakr obteve o status de refugiado em junho de 2015, depois de entrar ilegalmente na Alemanha em fevereiro, vários meses antes da chegada maciça de refugiados, no outono.
Este caso de grande repercussão reativou o debate sobre o controle dos refugiados na Alemanha e a política de abertura iniciada pela chanceler Angela Merkel em 2015.
No ano passado a Alemanha acolheu 890.000 refugiados, um número recorde.
"Os serviços secretos devem acessar os dados" sobre os refugiados, coisa que não acontece atualmente, declarou Michael Kretschmer, vice-presidente do grupo parlamentar da União Democrática Cristã (CDU), o partido de Merkel.
"Os serviços de inteligência exteriores e interiores devem estar mais envolvidos nos interrogatórios e nas verificações dos migrantes", disse um responsável da União Social Cristã (CSU), o braço bávaro da CDU.
Em julho, a Alemanha sofreu dois atentados cometidos por refugiados e reivindicados pelo Estado Islâmico.
Os atentados inquietaram parte da opinião pública alemã a respeito dos solicitantes de asilo, situação que provocou várias derrotas eleitorais do partido de Merkel.
AFP
TAGS