PUBLICIDADE
Notícias

Oxigênio produzido por musgos permitiu surgimento da vida animal

Os pesquisadores calcularam que os líquens e os musgos podem ter gerado cerca de 30% do oxigênio

18:10 | 15/08/2016
Tudo começou com o musgo, segundo um estudo publicado na segunda-feira, 15, que sugere que esta planta foi a responsável pela produção de quantidades de oxigênio suficientes para permitir aos animais e seres humanos prosperarem na Terra.

Há cerca de 470 milhões de anos, o musgo começou a proliferar, proporcionando ao planeta sua primeira fonte de oxigênio estável e permitindo o desenvolvimento de formas de vida inteligente, segundo o estudo publicado no periódico americano Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

"É emocionante pensar que sem a evolução do modesto musgo, nenhum de nós estaria aqui hoje", disse Tim Lenton, professor da Universidade de Exeter e coautor do trabalho. "Nosso estudo sugere que as primeiras plantas terrestres foram surpreendentemente produtivas e geraram um grande aumento da quantidade de oxigênio na atmosfera", afirmou.

[SAIBAMAIS 2] O oxigênio apareceu pela primeira vez na atmosfera da Terra há 2,4 bilhões de anos, durante o que se conhece como a Grande oxidação, mas não atingiu seus níveis atuais até cerca de 400 milhões de anos atrás.

Alguns cientistas teorizaram que as florestas foram as responsáveis por aumentar os níveis de oxigênio, mas os autores do estudo na PNAS discordam deles.

A partir de simulações de computador para recriar o passado, os pesquisadores calcularam que os líquens e os musgos podem ter gerado cerca de 30% do oxigênio da Terra há cerca de 445 milhões de anos.

Este aumento nos níveis de oxigênio "permitiu que uma vida animal extensa, móvel e inteligente, incluindo os humanos, evoluísse", afirma o estudo.

AFP
TAGS