PUBLICIDADE
Notícias

Filme de Woody Allen abre a 69º edição do Festival de Cannes

Esta é a terceira vez que um filme de Woody Allen, de 80 anos, abre o Festival de Cannes, depois de "Dirigindo no Escuro" em 2002 e "Meia-Noite em Paris" em 2011

05:50 | 11/05/2016
O Festival de Cannes, que durante duas semanas apresentará mais de 80 filmes e reunirá estrelas e cineastas de todo o mundo, começa nesta quarta-feira com "Café Society", o longa-metragem mais recente do americano Woody Allen. Atores como Russell Crowe, Robert De Niro, Julia Roberts e George Clooney devem passar pelo tapete vermelho na Riviera Francesa nos próximos dias. Os primeiros a subir a escada do Palácio dos Festivais serão os americanos Kristen Stewart e Jesse Eisenberg, para a exibição fora de competição de "Café Society" a partir das 17H15 GMT (14H15 de Brasília). Financiada pela gigante do comércio on-line Amazon, a produção conta a história de um jovem que se muda para Hollywood nos anos 1930, com a esperança de trabalhar na indústria do cinema. Esta é a terceira vez que um filme de Woody Allen, de 80 anos, abre o Festival de Cannes, depois de "Dirigindo no Escuro" em 2002 e "Meia-Noite em Paris" em 2011. Do irlandês Ken Loach, de quase 80 anos, ao "menino prodígio" canadense Xavier Dolan, de apenas 27 - ambos adorados em Cannes -, a nata da Sétima Arte mundial se reunirá até 22 de maio para duas semanas do melhor cinema disponível no planeta. A edição de 2016 marca o retorno do Brasil à disputa da Palma de Ouro, com o filme "Aquarius", segundo longa-metragem do diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, ex-crítico de cinema. O filme tem como protagonista a atriz Sonia Braga, no papel de uma aposentada que resiste às mudanças a seu redor.Alguns diretores já ganharam o Oscar e ambicionam a Palma de Ouro, como o iraniano Asghar Farhadi ("A Separação"), que apresenta "The Salesman", a história de dois atores cuja relação passa por problemas durante a interpretação da peça "A Morte do Caixeiro Viajante", de Arthur Miller. Outros já venceram a Palma de Ouro duas vezes, caso dos irmãos belgas Luc e Jean-Pierre Dardenne, que sonham com a terceira vitória com "La fille inconnue", a história de uma jovem médica que tem de lidar com a culpa. O sentimento de culpa também é o protagonista invisível - a mãe que pensa no que deixou de fazer pela filha - de "Julieta", de Pedro Almodóvar, quinta tentativa do espanhol de vencer a Palma de Ouro, apesar de o diretor afirmar que pode viver sem a mesma. O mais assíduo pretendente - 10 tentativas - é o americano Jim Jarmusch, considerado um filho do festival, que o viu conquistar a fama em 1984 com o prêmio Camera D'Or por "Estranhos no Paraíso". Dessa vez, ele apresenta "Paterson", com Adam Driver no papel de um motorista de ônibus poeta. A Palma de Ouro será definida por um júri presidido pelo australiano George Miller e integrado por outros quatro homens e quatro mulheres. meb/fp
TAGS