PUBLICIDADE
Notícias

Cara Delevingne é apontada como pivô da separação entre Johnny Depp e Amber Heard

O ator está impedido pela Justiça americana de se aproximar de Amber

10:48 | 30/05/2016
NULL
NULL
A modelo Cara Delevingne foi apontada pelo jornal britânico The Sun como pivô da separação entre o ator Johnny Depp, de 52 anos, e a atriz Amber Heard, de 30. Segundo o jornal, o ator da série americana Piratas do Caribe estaria com ciúmes da ex-esposa, que estaria “flertando” com a modelo britânica.

A crise no relacionamento teria começado com a aproximação das duas mulheres, desde que elas trabalharam juntas na gravação do filme "London Fields" - sem previsão de lançamento no Brasil - em 2014. Fontes afirmam ao jornal que, enquanto o ator buscava descansar das filmagens de Alice Através do Espelho, que estreou nessa semana nos cinemas brasileiros, as duas "costumavam ir a muitas festas juntas e não tentaram esconder o fato de que elas estavam flertando”. A atriz se assumiu bissexual em 2010. Antes de se relacionar com Depp, Amber namorou com a fotógrafa americana Tasya van Ree por três anos.

Na última semana, a atriz revelou que havia sido agredida pelo ator pelo menos três vezes durante seis meses. A informação repercutiu na imprensa internacional. Amber e Depp estiveram casados pouco mais de um ano, até que na última quinta-feira, 26, a atriz pediu o divórcio. Ela disse à justiça que sentia medo do ator e que a ideia de retornar para a casa onde os dois moravam juntos, em Los Angeles, a aterrorizava física e emocionalmente. Amber também afirma que o ex-marido consome cocaína e bebidas. O ator negou as acusações.

Um tribunal norte-americano proibiu Johnny Depp de se aproximar de Heard até que novas audiências apurem as acusações de agressão doméstica.
Redação O POVO Online
TAGS