PUBLICIDADE
Notícias

Plano de governo de Sanders prevê aumento de 34% nos impostos federais

17:50 | 04/03/2016
O plano de governo do pré-candidato democrata à Casa Branca, Bernie Sanders, é tão revolucionário quanto ele prometeu.

Segundo uma análise feita pelo Tax Policy Center, um instituto de pesquisa baseado em Washington, as propostas de Sander preveem uma alta de 34% nos impostos federais e uma redução pela metade da renda após impostos das famílias mais ricas do país. Ao todo, o projeto redundaria em um crescimento de US$ 15,3 trilhões dos impostos federais ao longo da próxima década.

O enorme aumento de receitas irá custear uma expansão significativa dos gastos do governo. A proposta de Sanders é, de longe, a mais radical entre todos os candidatos das eleições deste ano, mesmo considerando os enormes cortes de gastos e impostos propostos por alguns candidatos republicanos.

Segundo o think tank, a proposta de Sander concentra o aumento dos tributos sobre as famílias de renda mais alta, que teriam taxas maiores sobre seus salários e rendas, assim como limites mais rígidos sobre suas deduções. O 0,1% mais rico dos Estados Unidos - cuja renda é de cerca de US$ 3,7 milhões - veria seus rendimentos serem taxados em 63,7% em 2017, ante 34,2% no ano passado.

Os 20% que compõem a parte do meio da pirâmide de renda teriam uma carga tributária equivalente a US$ 4,692 mil em 2017, uma queda de 8,5% em seus rendimentos após impostos. As famílias de menor renda também teria que contribuir mais inicialmente, mas chegariam ao final de 2025 com a carga tributária equivalente a atual.

"Sanders está claramente apostando que as pessoas estão dispostas a pagar por seu custoso plano de bem estar social", disse Leonard Burman, diretor do Tax Policy Center. "Vai haver um enorme aumento dos impostos, principalmente sobre os mais ricos, mas que afetaria a todos."

O documento indica que mesmo os US$ 15,3 trilhões que seriam arrecadados com as novas medidas seriam insuficientes para pagar o custo dos programas sociais de Sanders, que incluem a universalização do Medicare. Ele também "reduziria substancialmente os incentivos à poupança e ao investimento nos EUA" e desencorajaria mães de famílias de baixa renda a se juntar à força de trabalho.

O plano de Sanders contrasta bastante com o da sua concorrente pela nomeação Democrata, Hillary Clinton. Ela também propõe elevar os impostos sobre a renda dos mais ricos, além de isenções maiores para famílias mais pobres. No entanto, para cada US$ 1 que Hillary propõe em aumento de tributos, Sanders propõe alta de US$ 14,24. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS