PUBLICIDADE
Notícias

Piloto ucraniana detida na Rússia segue em greve de fome e sede

Ucrânia exigiu nesta quarta-feira a libertação imediata de Savchenko.

07:17 | 09/03/2016

A piloto ucraniana Nadia Savchenko, julgada na Rússia por seu suposto envolvimento na morte de dois jornalistas russos no leste separatista de seu país, anunciou nesta quarta-feira que prosseguirá sua greve de fome e sede iniciada na semana passada.


"Seguirei com minha greve de fome e sede", declarou Savchenko através de seu tradutor, na última audiência de seu julgamento em Donetsk, uma pequena cidade russa a quilômetros da fronteira ucraniana.


O tribunal pronunciará seu veredicto entre 21 e 22 de março, e a piloto pode ser condenada a 23 anos de prisão. Ucrânia exigiu nesta quarta-feira a libertação imediata de Savchenko.


"Exigimos da Rússia a libertação imediata de Nadia Savchenko e o fim desta farsa judicial", escreveu em sua conta no Twitter Mariana Betsa, porta-voz da diplomacia de Kiev.


Savchenko já realizou uma greve de fome de 80 dias em 2015, em protesto contra sua detenção. Segundo a acusação, a piloto transmitiu ao exército ucraniano a posição de dois jornalistas russos que morreram por um disparo de morteiro no leste da Ucrânia em 2014.


Presa desde julho de 2014, Savchenko nega estar envolvida nestas mortes e acusa os rebeldes pró-russos de tê-la capturado em território ucraniano para entregá-la às autoridades de Moscou.

 

 

AFP

TAGS