PUBLICIDADE
Notícias

Jovem ligada ao PKK provocou atentado, diz governo turco

21:13 | 15/03/2016
Estudante turca de 24 anos ligada ao grupo rebelde recebeu treinamento militar na Síria. Atentado no fim de semana em Ancara deixou 37 mortos. O Ministério do Interior da Turquia anunciou nesta terça-feira (15/03) que o atentado suicida que matou 37 pessoas em Ancara no domingo foi provocado por um membro do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Seher Çagla Demir, de 24 anos e de origem turca, entrou para o PKK em 2013. Na Síria, ela recebeu treinamento das Unidades de Proteção Popular Curdas (YPG). Demir estudava Hotelaria na cidade turca de Balikesir e vinha sendo julgada por "difundir propaganda do PKK". A milícia considerada como terrorista pelo governo turco é uma das aliadas dos Estados Unidos no combate aos extremistas do "Estado Islâmico" (EI). Já o PKK é considerado um grupo terrorista não só por EUA e Turquia, mas também pela União Europeia. Em resposta, o governo turco lançou ataques contra bases do PKK no norte do Iraque, apesar de o grupo ainda não ter assumido a autoria do atentado. Em fevereiro, um ataque do grupo guerrilheiro curdo Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK) contra um comboio militar em Ancara deixou 28 mortos. KG/afp/dpa
TAGS