PUBLICIDADE
Notícias

Soldado indiano sobrevive seis dias soterrado na neve

13:27 | 09/02/2016
Após avalanche no Himalaia, que deixou nove mortos, equipes de busca não esperavam encontrar sobreviventes. Estado do militar resgatado, que sofreu desidratação e hipotermia é grave, e Exército fala em "milagre". Um soldado indiano soterrado por uma avalanche no Himalaia foi resgatado com vida seis dias após o deslizamento, anunciaram autoridades nesta terça-feira (09/02). Outros nove militares morreram no acidente. No último dia 3 de fevereiro, uma enorme avalanche atingiu um posto do Exército indiano, localizado no Glaciar de Siachen, na Caxemira. O glaciar que fica a 5,8 mil metros de altitude, próximo à fronteira com o Paquistão. Após um dia de buscas, militares afirmaram que as chances de encontrar sobreviventes eram remotas. No entanto, o soldado Hanamanthappa Koppad foi encontrado consciente, mas desorientado, na noite desta segunda-feira. Ele foi soterrado por 11 metros de neve, a uma temperatura de 45 graus Celsius negativos. "Ele estava gravemente desidratado, com hipotermia, hipóxia, hipoglicemia e em estado de choque", afirmou o Exército indiano em comunicado. O soldado foi transferido para um hospital em Nova Déli, onde está em coma e permanece em estado crítico. O Exército afirmou que os próximos dias serão decisivos para a recuperação do militar. "Esperamos que o milagre continue", disse o general D.S. Hooda, acrescentando que é extremamente raro que uma pessoa sobreviva tantos dias enterrada na neve. O comandante militar afirmou ainda que o soldado parece ter sido soterrado junto a uma tenda, que poderia ter criado uma bolsa de ar e permitido que ele respirasse. O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, visitou o militar nesta terça-feira e afirmou que lhe levou orações de todo o país. O pai de Koppad afirmou em entrevista a uma emissora de televisão que a família ficou muito feliz após saber que o filho sobreviveu. "Deus foi sido muito bom conosco", disse. As avalanches e os deslizamentos são frequentes nessa região no inverno, quando a temperatura pode chegar a 60 graus Celsius negativos. Estima-se que, desde 1984, cerca de 8 mil soldados morreram no Glaciar de Siachen, vítimas de avalanches, hipotermia e doenças causadas pela altitude. CN/ap/afp/lusa/dpa
TAGS