PUBLICIDADE
Notícias

Médicos Sem Fronteiras condena tentativas de reter imigrantes

13:35 | 19/01/2016
O grupo humanitário Médicos Sem Fronteiras afirmou nesta terça-feira que as tentativas de várias nações da União Europeia de reter os imigrantes colocaram milhares de pessoas em risco e criaram um negócio para os traficantes de pessoas. Em relatório, a entidade diz que o fechamento de fronteiras e o policiamento mais duro apenas encorajam pessoas a buscar abrigo ou empregos para usar outras rotas para chegar à Europa.

O diretor de operações do grupo humanitário, Brice de la Vingne, disse que as políticas para conter os imigrantes e a "resposta caótica" às necessidades humanitárias dos que fogem pioraram as condições de "milhares de homens, mulheres e crianças vulneráveis". O grupo, conhecido pela sigla MSF, pediu que a UE crie mais maneiras legais para se ir à Europa e permitir os pedidos de asilo na região fronteiriça entre a Turquia e a Grécia.

Mais de 1 milhão de imigrantes chegaram à UE no ano passado. Quatro países do centro europeu, porém, se opõem ao plano para redistribuir 120 mil pessoas que pediram asilo entre os 28 países do bloco e exigiram um controle mais firme da fronteira e o registro de todos os refugiados nas fronteiras externas à zona de livre passagem de Schengen. Representantes de República Checa, Polônia, Hungria e Eslováquia dizem que estão unidos contra o plano de realocação. Fonte: Associated Press.

TAGS