PUBLICIDADE
Notícias

Protestos bloqueiam via expressa e param um trem na Califórnia

17:30 | 09/12/2014
Manifestantes protestam pela terceira noite seguida na Califórnia contra a decisão da Justiça norte-americana de não indiciar dois policiais brancos acusados de matar dois negros não armados.

Os manifestantes bloquearam o tráfego de uma importante via expressa na cidade de Berkeley nos dois sentidos, enquanto outro grupo sentou sobre os trilhos de trem, forçando um grupo de passageiros a parar.

O protesto começou com um grande grupo de pessoas marchando pacificamente pelo centro da cidade. Depois de se aproximarem do departamento de polícia local, protegido por policiais trajados com equipamento de choque em linha, os manifestantes que gritavam "Quem você protege? Protesto pacífico" rumaram para uma estação de trem.

Os protestos ganharam o país depois das decisões de duas cortes nos Estados Unidos de não indiciar policiais brancos acusados de matar dois negros não armados, Michael Brown em Ferguson, e Eric Garner, em Nova York. A polícia afirma que cerca de 160 pessoas foram presas na noite de segunda-feira. A polícia rodoviária da Califórnia prendeu 150 pessoas por suspeita de resistência à prisão, obstrução à Justiça e outras acusações.

Entretanto, enquanto no resto do país os manifestantes já deixaram as ruas, em Berkeley e Oakland, outra cidade também na Califórnia, eles ainda estão ativos, um reflexo da longa história de protestos da região, que data da década de 1960.

Em Berkeley, a policial Jennifer Coats afirmou que nove pessoas, incluindo um adolescente, foram presas no protesto de domingo, que chegou a juntar 1.500 pessoas e acabou com cenas de violência e vandalismo. Na segunda-feira, comerciantes trocaram os vidros quebrados e estimavam as perdas com os saques que ocorreram na noite anterior.

"As pessoas na região da Bay Area são bastante sensíveis a questões mundiais", afirmou o prefeito de Berkeley, Tom Bates. "Infelizmente, uma pequena minoria quer usar de violência para provar seu ponto." Fonte: Associated Press.

TAGS